A CINCO PASSOS DE VOCÊ

Rachel Lippincott, Mikki Daughtry, Tobias Iaconis

Editora: Globo Alt

Páginas: 288

Ano: 2019

Sinopse:

Stella Grant gosta de controle. Ela parece uma adolescente típica, mas em sua rotina há listas de tarefas e inúmeros remédios que deve tomar para controlar a fibrose cística, doença crônica que impede que seus pulmões funcionem como deveriam. Para conseguir um transplante, ela precisa seguir seu tratamento e eliminar qualquer chance de infecção, o que significa ficar a pelo menos seis passos de outros pacientes com a doença – sem exceção. Will Newman não dá a mínima para o novo tratamento experimental para o qual foi selecionado. Prestes a completar dezoito anos, ele mal pode esperar para finalmente se livrar das máquinas e hospitais, usando o pouco de vida que ainda lhe resta para conhecer o mundo. Stella e Will são muito diferentes. Ao mesmo tempo, sua doença não é a única coisa que os une. Eles não podem se aproximar, mas, conforme sua conexão aumenta, os seis passos entre eles passam a ser insuportáveis. E se pudessem quebrar as regras? Cinco passos são tão perigosos quanto perder um grande amor?

“Cada lugar é diferente, cada lugar é único. São os hospitais de onde os observo que não mudam.”

(Página 62)

Você já ouviu falar em Fibrose Cística? Não é uma doença muito conhecida, entretanto, aqui no Brasil, atinge uma a cada dez mil pessoas.

É uma patologia genética e crônica. Em um conceito simples, o corpo do paciente com FC produz uma quantidade de muco bem mais espessa que o normal, dificultando sua eliminação. Atinge o sistema respiratório, o sistema digestivo e as glândulas sudoríparas (responsáveis por produzir suor). A expectativa de vida de quem tem a doença é mais ou menos três vezes menor do que a média normal. Clique aqui para saber mais a respeito.

“Sinto algo irrompendo dentro do meu peito, nas pontas dos dedos e na boca do estômago. Um anseio pelo contato com a pele macia dela, com as cicatrizes que, com certeza, ela tem espalhadas pelo corpo.

Mas nunca vou poder fazer isso. A distância entre nós nunca vai deixar de existir ou mudar.

Seis passos. Para sempre.”

(Página 135)

Há algum tempo eu vinha fugindo de livros que trazem em seu enredo personagens vítimas de algum tipo de doença grave ou mortal. Ver alguém que lutou bravamente durante anos pela vida perder a batalha não é fácil. Quem viveu isso de perto sabe exatamente do que estou falando.

Sendo assim, ignorei várias dicas de leitura dos amigos, mas não resisti ao magnetismo que A Cinco Passos de Você exerceu sobre mim desde a primeira vez que vi um post da Editora Globo Alt citando o livro. Eu precisava ler!

“— Eu gosto de uma teoria que diz que, pra entender a morte, a gente tem que pensar no nascimento. (…) Então, quando estamos no útero, já estamos vivendo aquela existência, certo? Não fazemos ideia de que a próxima existência está prestes a acontecer. (…) Talvez seja assim com a morte. Talvez seja apenas uma vida nova. A poucos centímetros.”

(Página 182)

Stella foi diagnosticada com fibrose cística aos seis anos e, desde então, passou muitos momentos de sua vida no Hospital St. Grace. Triste dizer isso, mas era como se fosse uma segunda casa. Abby, sua irmã, e Poe, seu melhor amigo – também paciente de FC – traziam a leveza de que precisava para passar por todas as situações difíceis que vinham junto com a doença.

Já adolescente, criou um canal no YouTube onde faz vídeos mostrando sua rotina – cirurgias, tratamentos – com a finalidade de conscientizar as pessoas sobre a FC. Seu foco maior no momento é o transplante que tanto aguarda, algo que, espera, possa trazer algum conforto à família após o divórcio dos pais.

Está internada, tentando combater uma inflamação na garganta e garantir que esteja o mais saudável possível para quando surgir um doador. Tudo em seu tratamento é controlado por ela mesma, os medicamentos rigorosamente organizados e os horários monitorados através de um aplicativo que a própria Stella criou (sim, o nível de TOC dela é esse aí!).

E, então, vê sua saúde ser posta em risco ao se deparar com Will. O novo paciente com FC do St. Grace está num tratamento experimental contra uma bactéria que pode colocar todo o esforço de Stella abaixo, já que o moço se recusa a seguir as regras do próprio tratamento. Uma delas é ficar a seis passos de distância um do outro, algo cada vez mais difícil à medida que se conhecem melhor.

Como conseguir conviver com alguém que se ama sem poder tocá-lo?

“A única coisa que quero é ficar com você. Mas preciso que você fique a salvo. A salvo de mim.”

(Página 261)

Acredito que escrever uma história em que a rotina das personagens gira em torno de uma doença, dentro de um hospital, deve ser bem difícil. Sempre existe a possibilidade de aquela patologia ganhar um destaque maior do que se pretende, ficando a trama mais técnica, e a leitura acaba se tornando um tanto maçante.

Isso definitivamente não acontece em A Cinco Passos de Você. Rachel Lippincott, Mikki Daughtry e Tobias Iaconis foram brilhantes na maneira como conduziram tudo, desde o roteiro do filme (que está maravilhoso, diga-se de passagem) à escrita do livro. As personagens foram extremamente bem construídas, as cenas mais emocionantes foram colocadas com muita sensibilidade e a mensagem que todo o enredo traz… Putz! Perfeita, tocante!

Stella, Will e Poe são personagens incríveis que, apesar da rotina que levam dentro de um hospital e ter de lidar com a fibrose cística, não perderam a essência do que é ser adolescente, de tudo aquilo que permeia essa fase de descobertas, quando se sente tudo muito intensamente. O senso de humor, o sarcasmo, as piadas, as paixões, o desejo de sair e explorar coisas novas. É exatamente isso que traz leveza à trama. Às vezes, o leitor até esquece do ambiente no qual eles estão.

E, apesar de algumas cenas terem arrancado muitas lágrimas da leitora que vos fala, os momentos de riso solto – bem como os suspiros apaixonados – foram bem maiores.

“— O toque humano. Nossa primeira forma de comunicação. (…) Segurança, conforto… é isso que sentimos no toque suave de um dedo, no roçar dos lábios numa bochecha macia. (…) Precisamos desse contato de quem amamos, quase tanto quanto precisamos do ar para respirar. Nunca entendi a importância do toque, do toque dele… Até não poder tê-lo.”

(Página 268)

Outro ponto que eu não poderia deixar de citar é a maneira como os profissionais de saúde foram retratados na trama. As pessoas que fazem parte desse universo da FC – corpo médico, enfermeiras, técnicos – foram muito bem representados na história através da Barb, da Julie e da Dra. Hamid. O inevitável vínculo afetivo com os pacientes que se forma depois de tanto tempo de convivência. A empatia dos profissionais que, mesmo diante de tantas dificuldades e tendo assistido tantos doentes perecerem, não perderam aquele lado humano, que sente, que chora, que luta junto e apoia.

A Cinco Passos de Você é um dos melhores livros que li na vida! Emociona e conscientiza. Não deixem de ler.

Dedico esse post a todo guerreiro e guerreira que convive com a FC, seja paciente ou pessoa que cuida de alguém com a doença.

Até a próxima!

2 Comentários

  1. Marina Mafra13 maio, 2019Responder
    • Le15 maio, 2019Responder

deixe seu comentário