As filhas da noiva

Susan Mallery

Editora: Harlequin

Páginas: 352

Ano: 2018

Sinopse:

Courtney Watson é a irmã desajustada da família. Ela pode não ter uma vida tão organizada quanto a das irmãs, mas ela é excelente em uma coisa: guardar segredos. Inclusive sobre seu caso flamejante com um produtor musical. Planejar o casamento da própria mãe traz sua vida secreta à tona, mudando completamente a imagem que sua família tinha de Courtney para sempre. Quando o namorado de Siena, a irmã rebelde, a pede em casamento bem na frente de sua mãe e suas irmãs, é uma completa surpresa para ela. Siena já passou por dois noivados fracassados e desfeitos. Como ela pode aceitar se ela nem tem certeza que é isso que ela ainda quer? Rachel é a cínica da família. Ela acreditava que o amor duraria para sempre. Até o seu divórcio. Enquanto o dia do casamento de sua mãe se aproxima, seu ex passa a implorar por uma segunda chance, e ela é forçada a reconhecer algumas verdades incômodas sobre os motivos pelos quais seu casamento não deu certo. Rachel precisa decidir se ela vai deixar o orgulho ficar no caminho do seu felizes para sempre.

“Quanto a parte do “até que a morte os separe”, bem, não era Courtney quem ia se casar. Estava disposta a admitir que nunca tinha se apaixonado, mas pelo que tinha visto, a maioria dos relacionamentos românticos terminava mal. Quanto ao amor não romântico, este também doía.” (Página 27)

De acordo com a tradição, são as mães que se empenham em organizarem os casamentos de suas filhas, correto? Mas e quando a história se inverte e as filhas que se tornam as responsáveis por organizarem o casamento da própria mãe?

Rachel, Sienna e Courtney perderam o pai há 24 anos atrás, e desde então era apenas elas e a mãe. Maggie correu atrás de uma vida melhor para ela e as filhas, e devido a correria não tinha muito tempo para desempenhar o seu papel de mãe presente. Muitos sentimentos foram sufocados ao longo dos anos, e com isso a relação entre mãe e filhas se tornou um pouco distante.

“… mas as escolhas que Courtney fizera no passado para namorados tinham sido em uma escala de ruim para pior. Era por isso que, por um tempo, decidira abrir mão da coisa toda de relação entre homem e mulher. Ela não precisava de distração.” (Página 161)

De todas as três irmãs, a que mais sofreu com isso foi Courtney (minha preferida), a caçula. Considerada extremamente desastrada, diferentemente das irmãs ela não possui uma vida satisfatoriamente boa e segura. Mas ao planejar o casamento da própria mãe, seu maior segredo virá à tona, e sua família descobrira que ela é muito mais do que eles julgam.

Sienna é a irmã do meio, a rebelde da família, aquela pessoa desapegada e que não se prende a ninguém. Após passar por dois noivados que deram errado, ela se aterroriza quando seu novo namorado a pede em casamento. Será que dessa vez daria certo? Ou seria apenas mais um colossal erro?

“Todos nos temos segredos. Eles fazem com que nos sintamos seguros. E nos ajudam a passar pelas coisas.” (Página 210)

Rachel, a mais velha, aquela que carregou o fardo de cuidar e se preocupar com as irmãs enquanto a mãe estava fora, sempre acreditou que o amor era algo eterno. Mas ao se divorciar, sua vida muda radicalmente. E tudo volta a mudar quando seu ex-marido se reaproxima aparentando ter se tornado uma pessoa melhor. O amor é realmente eterno ou não?

Susan Mallery criou uma história magnífica. Ela soube trabalhar diversas emoções ao longo da narrativa. Dentre a capacidade de perdoar verdadeiramente e se libertar das magoas do passado, a capacidade de se redescobrir, reinventar e mudar algumas concepções tidas como imutáveis.

“Porque amar alguém significa entregar seu coração completamente, e, quando você faz isso, não tem defesas. Está à mercê da outra pessoa.” (Página 324)

O amor é refinado em várias situações. Seja o amor que foi abalado pelas adversidades da vida, o amor que nem sabia que ainda existia ou o amor que foi negado por anos. As três irmãs ao preparem o casamento da mãe, passam por uma auto-avaliação tanto como pessoas, quanto como mulheres.

Eu amo livros que me agregam algum sentimento bom e me fazem crescer como ser humano durante a leitura. Em As filhas da noiva aconteceu isso. Pude perceber o que o medo faz com as pessoas, e a incapacidade de acreditar e confiar em si mesmo. A autora ainda abordou um assunto bastante triste e que merece ser discutido e amparado ao redor do mundo. Recomendo com todo o meu coração que conheçam essa historia maravilhosa, encantadora, emocionante, engraçada e apaixonante.

3 Comentários

  1. Camila Carvalho02 jul, 2018Responder
  2. Marina Mafra02 jul, 2018Responder
  3. Le03 jul, 2018Responder

deixe seu comentário