Como agarrar uma herdeira

Julia Quinn

Editora: Arqueiro

Páginas: 304

Ano: 2017

Sinopse:

Quando Caroline Trent é sequestrada por engano por Blake Ravenscroft, não faz o menor esforço para se libertar das garras do agente perigosamente sedutor. Afinal, está mesmo querendo escapar do casamento forçado com um homem que só se interessa pela fortuna que ela herdou. Blake a confundiu com a famosa espiã espanhola Carlotta De Leon, e Caroline não vai se preocupar em esclarecer nada até completar 21 anos, dali a seis semanas, quando passará a controlar a própria herança milionária. Enquanto isso, é muito mais conveniente ficar escondida ao lado desse sequestrador misterioso. A missão de Blake era levar “Carlotta” à justiça, e não se apaixonar por ela. Depois de anos de intriga e espionagem a serviço da Coroa, o coração dele ficou frio e insensível, mas essa prisioneira se prova uma verdadeira tentação, que o desarma completamente.

Resenha:

Mas ele nunca pensara que acabaria como babá de uma espiã metade espanhola, estranhamente atraente e com a pior letra na história do mundo civilizado. (Página 42)

Hampshire, Inglaterra, 3 de julho de 1814 é onde tudo começa. O livro nos apresenta Caroline Trent, uma moça órfã no auge de seus 20 anos e herdeira de uma grande fortuna. Perdeu os pais quando tinha apenas 10 anos de idade e passou a ser criada por tutores que possuíam um caráter duvidoso e que eram interessados apenas em seu dinheiro.

É só que você me lembra alguém que conheci. Não na aparência. Nem mesmo nos maneirismos. É mais uma… – Ele indicou a cabeça como se buscasse a palavra certa. – É mais uma semelhança de espírito, se é que isso existe. (Página 69)

A Corte determinou que Caroline só pudesse controlar sua herança milionária quando completasse 21 anos, o que seria dali a seis semanas. Porém, seu atual tutor motivado pela ganância, decide casá-la a força com o próprio filho, com o único intuito de controlar toda a fortuna da jovem.

Blake praguejou baixinho, Sabia que estava cometendo um erro. O modo como Caroline sorria para ele, como se realmente acreditasse ser capaz de iluminar os cantos mais distantes do coração dele…
Santo Deus, ela o apavorava. (Página 73)

Caroline resolveu fugir desse destino cruel e passar as seis semanas restantes escondida, até ter a permissão legal de controlar sua própria vida e herança. Mas como a lei de Murphy diz que se algo pode dar errado, dará, ao fugir da mansão dos Prewitt, nossa jovem herdeira é seqüestrada por engano.

Havia certa liberdade em se permitir ser apenas tolo de vez em quando. Blake resolveu não perder essa sensação de vista quando enfim se livrasse das amarras que o prendiam ao Departamento de Guerra. Talvez estivesse na hora de parar de ser tão sério o tempo todo. Talvez já fosse hora de se permitir um pouco de alegria. Talvez… (Página 115)

Blake, um agente da Coroa, tinha a missão de levar a espiã Carlotta De Leon à justiça, mas durante a noite e sem nunca ter visto o rosto dela, acabou se enganando e levando Caroline no lugar. O que fora bem conveniente para nossa herdeira, pois como queria escapar de um casamento forçado, viu nesse seqüestro a oportunidade de se manter escondida durante as seis semanas que precisava.

O coração dela doeu de anseio enquanto observava a interação entre eles. Caroline desejou ter alguém que implicasse com ela e que segurasse sua mão em momentos de medo e insegurança. (Página 183)

Com o coração frio e insensível devido a profundas tristezas do passado, o que Blake menos imaginaria era que fosse se encantar por “Carlotta”. Caroline não se preocupou em revelar sua verdadeira identidade e se mostrou uma verdadeira tentação para Blake, desarmando as camadas geladas do coração de nosso agente.

Não queria pensar no que sentia por Caroline. Não queria analisar esse sentimento, esmiuçá-lo nem tentar rotulá-lo. Porque estava apavorado com a possibilidade de que, se fizesse isso, a única palavra que resultaria seria amor, e essa teria sido a piada mais cruel de todas. (Página 238)

Posso parecer suspeita para falar (eu sou tiete da Julia Quinn com muito amor e orgulho haha), mas esse livro não merece nem de longe as criticas negativas que vi por ai. É um romance extremamente divertido, leve e com um toque de doçura que me prendeu a narrativa em todos os momentos.

As constantes brigas e discussões banais entre os dois protagonistas me arrancaram risos intermináveis. Caroline possui o gênio forte, e não aceita ser controlada por ninguém, enquanto Blake insiste em tentar controlá-la. Os dois me fizeram lembrar de Anthony e Kate, o casal do segundo volume da série os Bridgertons.

Um final cheio de emoções que me fez ficar receosa e com o coração apertado de preocupação. Se eu indico? Claro que sim meus caros, e já estou inquieta pelo segundo volume dessa duologia.

Amo a diagramação dos livros da Editora Arqueiro, e essa edição está linda demais, meus olhos se encheram de emoção quando vi o livro pela primeira vez. Alguém aqui já leu e compartilha dos mesmos sentimentos? Me contem.

pa.li:a.ti.vo (adjetivo). Que dá alívio superficial ou temporário.
Estou aprendendo que um beijo é um fraco paliativo quando o coração de alguém está partido. (Página 147)

6 Comentários

  1. Marina Mafra18 nov, 2017Responder
  2. Nessa20 nov, 2017Responder
  3. Rê Toledo28 nov, 2017Responder
  4. Rê Toledo28 nov, 2017Responder

deixe seu comentário