CONTOS DE A FÚRIA E A AURORA

Renée Ahdieh

Editora: Globo Alt

Páginas: 104

Ano: 2017

Sinopse:

O que passava pela cabeça de Khalid antes dele conhecer Sherazade e qual foi a sua primeira impressão ao vê-la? O que ele sentiu, tempos depois, já completamente apaixonado por ela, ao ser forçado a se afastar e ver seu palácio destruído? E como Despina se envolveu e se apaixonou pelo capitão da guarda real Jalal al-Khoury? Nesses três contos, Renée Ahdieh retorna ao mundo de As mil e uma noites para dar voz a Khalid e Despina em pontos chave da história, nos envolvendo novamente nesse encantador universo de palácios, desertos e paixões avassaladoras.

“— Não tema o que o pôr do sol pode trazer. Porque onde o sol se põe, ele também nasce.” (Página 9)

Um Rei atormentado pelo seu passado. Um povo que assiste impotente seu califa casar e assassinar as jovens noivas. Uma maldição que pesa sobre os ombros de um rapaz que tem na vida uma cota alta de sofrimento e frustração. Uma jovem com sede de vingança, mas que – por ironia ou não do destino – pode ser a salvação de um reino cujo governante é, ao que tudo indica, a personificação da frieza e da crueldade.

“A fúria e a aurora”, primeiro livro da duologia escrita pela autora Renée Ahdieh, é inspirado na antiga obra “As mil e uma noites” – uma coletânea de contos populares de origem indiana, persa e árabe.

Quem leu a trama criada por Ahdieh com certeza encantou-se com os cenários belíssimos e as personagens fortes, destemidas e marcantes. E é sobre duas delas que venho falar na dica de leitura de hoje.

“— Khalid odiava ver os olhos de seu pai refletidos no espelho. Odiava a lembrança de quem ele era e porque aqueles eventos estavam acontecendo.

O filho de um monstro. O sangue de um louco.” (Página 10)

“Contos de A fúria e a aurora” leva o leitor de volta a Khorasan. Alguns episódios ocorridos no primeiro livro da duologia são vistos aqui pela ótica de Khalid e Despina.

Khalid é o califa de Khorasan e dois dos contos apresentados nos levam a conhecer melhor a sua personalidade e o que a presença de Sherazade representou em sua vida. “A Coroa e a Flecha” e “O Espelho e o Labirinto” são contos que mostram alguns fatos sobre a chegada da jovem que se voluntariou para casar com um rei que assassina suas noivas e sobre o que significou para o califa ser obrigado a afastar-se da sua amada rainha após a tragédia que se abateu sobre sua cidade.

“O medo que sentira antes não era nada diante do que sentia agora. Nada comparado ao terror da certeza.

Todas aquelas mortes. Toda aquela destruição.

Minha culpa.” (Página 34)

Despina – uma das personagens que mais gostei em “A fúria e a aurora” – é a figura central de “A mariposa e a chama”. A criada tem uma história de vida sofrida e trabalhar no palácio a ajudou a superar parte desse sofrimento. Um dos pontos marcantes no livro um é o seu envolvimento com Jalal, o capitão da guarda real. Aqui entendemos melhor como se conheceram e de que maneira a interação entre eles tornou-se algo mais.

O legal desse último conto é apreciar não só a Despina, mas um pouco da personalidade de outras personagens, como a Ava, primeira esposa de Khalid, e o próprio Jalal.

“Ele chegou mais perto, se apoiando num dos cotovelos. Um dedo cauteloso passou por trás da orelha de Despina.

E por um instante, ambos se esqueceram de quem eram.

O capitão da guarda real. E a criada da rainha.” (Páginas 84/85)

Não sei se a maioria compartilha da minha opinião, mas adoro quando um (a) autor (a) extrai algo da história original e nos permite conhecer melhor outras personagens da trama. Às vezes alguém se destaca e fica no ar a curiosidade em saber mais sobre aquela figura, coisas que não foram possíveis colocar no enredo anterior. Além disso, é possível amarrar algumas pontas soltas e responder perguntas que ficaram durante a leitura.

Me encantei demais com a escrita da Renné Ahdieh. A maneira como desenvolveu toda a história leva o leitor a sentir-se dentro dela, fazer parte daquele mundo de palácios, intrigas, romance e magia.

A edição publicada pela Globo Alt não deixa a desejar. O visual do livro está incrível!

Beijo e até a próxima!

2 Comentários

  1. Marina Mafra16 ago, 2018Responder
    • Le Vamp17 ago, 2018Responder

deixe seu comentário