Deixada para trás

Charlie Donlea

Editora: Faro Editorial

Páginas: 368

Ano: 2017

Sinopse:

Nicole Cutty e Megan McDonald são alunas do ensino médio na pequena cidade de Emerson Bay, Carolina do Norte. Quando elas desaparecem de uma festa na praia em uma noite quente de verão, a polícia inicia uma busca maciça. Nenhuma pista é encontrada e a esperança é quase perdida, até Megan milagrosamente aparecer depois de escapar de um bunker no fundo da floresta. Um ano depois, o best-seller de sua provação transformou Megan de heróina local para celebridade nacional. É uma história triunfante e inspiradora, exceto por um detalhe inconveniente: Nicole ainda está desaparecida. A irmã mais velha de Nicole, Livia, é uma perita forense e espera que em um breve dia o corpo de Nicole seja encontrado e entregue a alguém como ela para analisar as provas e finalmente determinar o destino que sua irmã teve. Em vez disso, a primeira pista para o desaparecimento de Nicole vem de outro corpo que aparece no necrotério, de um jovem ligado ao passado de Nicole. Livia vai até Megan para pedir ajuda, esperando descobrir mais sobre a noite em que as duas foram levadas. Outras meninas também desapareceram e Livia está cada vez mais certa de que os casos estão conectados. Mas Megan sabe mais do que ela revelou em seu livro best-seller. Flashes de memória estão se juntando, apontando para algo mais escuro e mais monstruoso do que sua memória descreve. E quanto mais ela e Livia cavam, mais elas percebem que às vezes o verdadeiro terror está em encontrar exatamente o que você está procurando.

Resenha:

“Quando um corpo chegar para mim com perguntas, vou querer respondê-las para a família com o mesmo cuidado, compaixão e competência que espero receber algum dia de quem me ligar falando de minha irmã.” (Página 20)

Privar ilicitamente uma pessoa de sua liberdade, mantendo-a em local do qual ela não possa livremente sair, ato esse, mais conhecido como sequestro. Mas qual seria a real motivação de alguém para cometer um ato tão cruel?

Nossa história começa em uma pequena cidade na Carolina do Norte, Emerson Bay que se tornou cenário de uma tragédia. Nicole e Megan, duas garotas do ensino médio desaparecem misteriosamente em uma festa. Mesmo em meio às buscas da polícia, nenhum vestígio é encontrado, mas após duas semanas, Megan consegue escapar do cativeiro e aparece. Um ano depois de todo o sofrimento que passou, ela decide lançar um livro e rapidamente ele se torna um sucesso. Seria uma história de superação linda, se não fosse por Nicole ainda estar desaparecida.

“-… Arrependimento não se pode medir. O meu não pode ser maior do que o seu. Meu pai sempre dizia: ou você tem ou não.” (Página 80)

A irmã mais velha de Nicole, é aluna de um curso de patologia forense no IML, e Lívia sabe que um dia o corpo desaparecido da irmã poderá chegar em suas mãos para a autopsia, e assim descobrir o real motivo da morte. Mas inesperadamente, surge em sua mesa de trabalho, um outro corpo trazendo pistas sobre o desaparecimento de Nicole. Lívia descobre que outras garotas também desapareceram em circunstâncias similares e resolve procurar Megan, afinal alguma lembrança a garota deve ter daquelas duas semanas.

O que ninguém sabia, é que Megan possuía mais lembranças do que as descritas em seu livro. Ela e Lívia começam a investigar os desaparecimentos e encontram conexões assustadoras, enquanto isso a memória de Megan trabalha contra o tempo para se lembrar do que ainda falta. Mas quando a verdade começa a encontrar o seu caminho, um medo enorme vem acompanhado, e as duas vão descobrir que o grande terror só está se aproximando.

“Ela semicerrou os olhos e entreabriu os lábios observando a foto. Gaguejou as palavras até que finalmente elas se formaram:
– Essa é a minha prima. Julie.
– É mesmo? – O homem inclinou a cabeça. – É uma pena. Ela também está desaparecida. E nunca voltará para casa.” (Página 111)

Ah Charlie, Charlie, Charlie… primeiro esse autor me deu uma trama impecável e Kelsey uma personagem maravilhosamente forte em A garota do lago, e confesso que pensei estar preparada para Deixada para trás, porém como me enganei. Charlie me surpreendeu mais uma vez, criando uma história surreal, bem desenvolvida e que me deixou em estado catatônico enquanto não cheguei à última página.

É um livro, é ficção, mas essa história pareceu tão real que me chocou. As cenas no IML foram tão bem escritas e detalhadas, que me senti dentro daquela sala de autopsia, analisando os corpos e sentindo o cheiro pavoroso da morte. A narrativa inteira me prendeu, seduziu e chocou. Criei inúmeras teorias, apontei diversos culpados (acertei em um pelo menos rs), e me envolvi tanto nessa história, ao ponto de sentir a dor dos personagens.

“- É insano, sabe, que alguém possa roubar alguém. Não o carro, não o dinheiro. Na verdade, roubar a pessoa! (Página 167)

Acredito que quando um autor escreve um suspense, ele precisa saber como trabalhar sua ideia desde a primeira a última página do livro, sem cansar seus leitores, mas os seduzindo a continuar. Gostaria de deixar claro que Charlie Donlea é um autor assim, ele cria narrativas que me fazem pensar sobre elas durante um bom tempo, foi assim com A garota do lago, e será com Deixada para trás.

Gostaria também de enaltecer a Faro Editorial por trazer as obras desse talentoso autor e pelo trabalho maravilhoso na diagramação desse livro. Recomendo de todo o coração que venham conhecer o mistério que cerca a cidade de Emerson Bay e o desaparecimento de Megan e Nicole. E se preparem para o maior choque que terão na vida quando descobrirem a verdade.

“O que ninguém entende é que não sou capaz de simplesmente enterrar essas duas semanas como se nunca tivessem acontecido.” (Página 211)

2 Comentários

  1. Marina Mafra07 jun, 2018Responder
  2. Camila Carvallho13 jun, 2018Responder

deixe seu comentário