A Febre

Megan Abbott

Editora: Intrínseca

Páginas: 272

Ano: 2015

Sinopse:

Na Escola Secundária de Dryden, Deenie, Lise e Gabby formam um trio inseparável. Filha do professor de química e irmã de um popular jogador de hóquei da escola, Deenie irradia a vulnerabilidade de uma típica adolescente de 16 anos. Quando Lise sofre uma inexplicável e violenta convulsão no meio de uma aula, ninguém sabe como reagir. Os boatos começam a se espalhar na mesma velocidade que outras meninas passam a ter desmaios, convulsões e tiques nervosos, deixando os médicos intrigados e os pais apavorados. Os ataques seriam efeito colateral de uma vacina contra HPV? Envoltos em teorias e especulações, o pânico rapidamente se alastra pela escola e pela cidade, ameaçando a frágil sensação de segurança daquelas pessoas, que não conseguem compreender a causa da doença terrível e misteriosa.

a febre livro

Resenha:

a febre livro

Foi como se fosse para acontecer. A coisa ruim pela qual estamos esperando, aquilo que podemos fazer um dia. E depois que você faz, não há como voltar atrás.

Deenie e Lise são melhores amigas e confidentes desde sempre. Deenie viu a amiga passar por um processo de emagrecimento, e de despercebida passou a ser muito desejada pelos meninos da escola. Lise gostava da nova fama, aproveitando ao máximo e se tornando motivo de fofocas e boatos pelos corredores.

a febre livro

Gabby, linda e popular, era uma amiga não tão antiga de Deenie, mas bastante querida. Com uma situação familiar complicada, Gabby contou com o apoio da amiga em muitos momentos, o que as aproximou muito.

Você já se viu multiplicado por dez em outra pessoa e teve vontade de tapar os olhos?

a febre livro

As três tinham histórias para contar, mas na escola, elas dividiam Gabby com Kim e Skye, duas amigas bem grudentas. Estava cada vez mais difícil encontrar Gabby sem elas. Kim era um tipo de fã subordinada de Gabby e Skye era misteriosamente perigosa, como uma bruxa. Embora não gostasse nada delas, Deenie as tolerava por Gabby.

Afinal, ninguém podia ser tudo para alguém.

a febre livro

Quando sua mãe foi embora de casa, após problemas no casamento com o pai, Deenie e o irmão Eli passaram a ser criados pelo pai, Tom, professor na escola em que os dois estudavam.

Às vezes, parecia que ser pai se resumia a uma série de decisões questionáveis, uma após a outra.

Tom era o típico pai solteiro criando filhos adolescentes, perdido e desesperado para proteger os filhos. Eli era um esportista que arrancava suspiros das meninas da escola.

a febre livro

Passamos muito tempo esperando a vida começar, e então, quando ela começa, percebemos que não é o que esperávamos ou desejávamos.

A normalidade da vida de todos é abalada, quando algumas meninas começam a ter ataques de convulsões sem nenhuma explicação.

a febre livro

Tudo passa a ser analisado, a água da cidade, vacinas que foram tomadas, a vida íntima das meninas. O tempo se tornou curto quando a situação parece poder matar as meninas afetadas. Pais se desesperavam para proteger as filhas, meninas se desesperavam por não saber qual delas seria a próxima.

— É o que colocamos na terra. E nas paredes. O lago, o ar. E as vacinas que damos a elas. A comida, a água, as coisas que dizemos, as coisas que fazemos. Tudo isso vai direto para os corpos delas. Porque mesmo que não seja nada disso, poderia ser. Porque tudo o que fazemos desde o instante em que elas nascem é colocá-las em risco.
— Nós as colocamos em risco simplesmente ao tê-las. E os perigos não param nunca.

a febre livro

A cidade se torna um verdadeiro caos. A polícia toma a frente da situação, mas como controlar uma febre que parece vir de qualquer lugar?

A parte mais difícil da vida era o quanto devemos a todo mundo.

Os capítulos são narrativas pelos pontos de vista de Deenie, Eli e Tom. Assustador, misterioso, intrigante. O que acontece na escola, nem sempre é coisa inocente de criança. A história me segurou de forma desesperada até que segredos começaram a ser descobertos, relevando um final surpreendente.

a febre livro

2 Comentários

  1. Jhenny Alves08 maio, 2017Responder
    • Marina Mafra Martinez13 maio, 2017Responder

deixe seu comentário