O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa

Número de página: 99 a 186

Spoilers da crônica anterior!

  1. O Sobrinho do Mago

Sinopse: “Dizem que Aslam está a caminho. Talvez já tenha chegado”, sussurrou o Castor. Edmundo experimentou uma misteriosa sensação de horror. Pedro sentiu-se valente e vigoroso. Para Suzana, foi como se uma música deliciosa tivesse enchido o ar. E Lúcia teve aquele mesmo sentimento que nos desperta a chegada do verão. Assim, no coração da terra encantada de Nárnia, as crianças lançaram-se na mais excitante e mágica aventura que alguém já escreveu.

Resenha:

Susana, Pedro, Edmundo e Lúcia eram irmãos. Durante a guerra, por causa dos ataques aéreos foram obrigados a deixar Londres e acolhidos em uma mansão bem distante de um professor muito velho.

Quando brincavam de esconde-esconde na mansão, Lúcia se escondeu dentro de um guarda-roupa cheio de casacos. Indo mais para o fundo do guarda-roupa, Lúcia percebeu que havia algo além dele, ele era apenas uma passagem para um local totalmente diferente de onde eles estavam, não parecia ser o mesmo lugar.

Lúcia encontrou a entrada para Nárnia. Não mais a bonita Nárnia que conhecemos em O Sobrinho do Mago, mas uma Nárnia coberta pela neve, maldição que a nova rainha, a Feiticeira Jadis colocou sobre a terra. Todos a temiam profundamente e qualquer um que entrasse no seu caminho viraria estátua de pedra.

Lúcia era uma menina muito doce, assim que chegou já fez um amigo, Sr. Tumnus. Ele era um fauno. A levou para a casa dele, contando muitas histórias sobre a sua terra e sobre a temível Feiticeira Branca.

De volta para casa, Lúcia tenta convencer os irmãos sobre a sua descoberta, mas misteriosamente, o guarda-roupa se tornou apenas um guarda-roupa, não havia nenhum sinal de Nárnia nele. Óbvio que eles não acreditaram nela, a deixando muito confusa, afinal, ela havia vivenciado tudo aquilo.

Um dia, Edmundo sem querer descobriu que Nárnia realmente existia. Explorando sozinho o local, encontrou com ninguém menos que a temida Feiticeira Branca. Ficou tão entusiasmado com tudo que ela parecia oferecer de bom, que foi logo contando tudo sobre ele e os irmãos para ela. O que Edmundo não sabia, era que havia um tipo de profecia que colocava o reinado da Feiticeira em perigo e ele e os irmãos pareciam amedrontar a megera.

Jadis convence Edmundo a trazer os irmãos para conhecê-la e os planos dela para os quatro eram os piores possíveis. Iludido, Edmundo coloca a vida de todos em perigo, despertando uma guerra em Nárnia, que levou eles a viver momentos pelos quais nunca teriam imaginado e  ganhar amigos não-humanos que os fizeram acreditar que todas as coisas pareciam possíveis naquele lugar.

Nessa segunda crônica temos uma Nárnia ainda mágica, porém dominada pela maldade. Encontramos um Aslam poderoso, corajoso e ousado, que traz os ensinamentos muito ricos para os quatro jovem e para todos os leitores. Essa é, na minha opinião, a crônica mais emocionante. Recomendo muito!

Compartilhe!