LENDÁRIO (CARAVAL #2)

Stephanie Garber

Editora: Novo Conceito

Páginas: 400

Ano: 2019

Sinopse:

O Caraval deste ano foi concluído. Tella está viva - e segura, para o alívio de sua irmã mais velha. Mas Tella tem segredos que ela mantém de Scarlett. Segredos como o que Tella prometeu em troca dos convites das irmãs para o Caraval em primeiro lugar. Segredos sobre a pessoa a quem estas promessas foram feitas. E segredos sobre Julian, o jogador de Caraval que ganhou o coração de Scarlett. Com medo de revelar a verdade para a pessoa que mais a ama, Tella foge para Valenda, a capital do Império, para encontrar o misterioso correspondente a quem Tella deve. Mas nas noites que antecedem o Dia de Elantine, um cruzamento entre um baile de máscaras, um jubileu e Caraval, ninguém é confiável.

“Todos nós temos o poder de escolher nosso próprio destino.”

(Página 13)

Há uma frase do Carl Sagan pela qual sou apaixonada e que permeia meus pensamentos sempre que estou diante de uma grande história:

“Um livro é a prova de que os homens são capazes de fazer magia”.

A autora Stephanie Garber é, definitivamente, a personificação desta frase.

Lendário é um dos melhores livros do gênero Fantasia que existem. Se Caraval – o primeiro da trilogia – teve o poder de me fazer sentir dentro do universo criado pelo Mestre Lenda, neste segundo volume a sensação é ainda mais forte e marcante.

[Antes de prosseguir um aviso: neste post existem spoilers de Caraval. Para resenha dele, clique aqui.]

“Era por isso que o amor era tão perigoso. O amor transformava o mundo em um jardim, tão atraente que era fácil se esquecer de que pétalas de rosas eram tão efêmeras quanto sentimentos, que após algum tempo elas iriam murchar e morrer, não deixando nada além de espinhos.”

(Página 48)

As Irmãs Dragna já viveram aventuras arriscadas demais em algo que deveria ser somente um jogo. Após anos sonhando em conhecer de perto o Caraval, Scarlett e Donatella viram coisas que, antes, só existiam nas histórias contadas pela avó. Ainda que tenham ouvido o relato de alguém tão próximo, nada poderia tê-las preparado para o que experimentaram, nem mesmo a “morte” de uma delas. Algo assim significaria que, nem em mil anos, participariam novamente, certo?

Errado!

Quando crianças, a mãe de Tella e Scar – Pérola – desapareceu misteriosamente. Antes disso, Tella, que gostava de mexer nas coisas da mãe, encontrou um baralho diferente que, segundo Pérola, deveria ser mantido fora do alcance de qualquer um. Mesmo após saber sobre o perigo das cartas do Baralho do Destino e dos Arcanos e prometer à mãe que jamais poria as mãos nele novamente, a menina escondeu uma das cartas sem a noção do quanto aquilo afetaria suas vidas.

“Naquele silêncio tenso, Tella pensou ter ouvido a risada rouca da Morte. Ela se arrastava como metal enferrujado serrando ossos. Exatamente o mesmo som que a saudou quando ela pulou daquele terraço horrível durante o Caraval. As boas-vindas lúgubres a um reino hediondo. Agora, a risada servia como uma lembrança arrepiante de que outrora ela pertencera à Morte, e que Ela a queria de volta.”

(Página 84)

Anos mais tarde durante seu primeiro Caraval, Tella descobriu através de um alguém misterioso que a mãe está viva e acabou fazendo um acordo para encontrá-la, tudo isso escondido de Scar. A barganha envolve a moça descobrir a verdadeira identidade do Mestre Lenda. O aniversário da Imperatriz Elantine está próximo e um novo jogo será realizado, desta vez em Valenda. É a oportunidade perfeita!

Entretanto, o Caraval sempre reserva muitas surpresas e a promessa de que desta vez tudo será real, é perturbadora.

Um noivado inusitado, novos acordos, grandes segredos e a sensação de que a Morte a ronda fará Tella arriscar coisas demais. O Caraval usa de muita perspicácia e explora com afinco as habilidades dos seus jogadores, e as coisas não serão nada fáceis para a protagonista. Será ela capaz de chegar intacta ao final?

“Por mais fantástico que possa parecer o Caraval, o que acontecer nas próxima cinco noites será muito real.

Elantine entoou seu clamor para que salvemos o Império do seu maior temor.”

(Página 111)

Carruagens flutuantes, roupas que parecem ter vida própria, cenários deslumbrantes com suas cores e brilho, os enigmas do jogo, a emoção da aventura, o receio em fracassar, a terrível possibilidade da perda e a incerteza do que é real e do que é mera fantasia.

A escrita de Garber é capaz de conquistar e encantar até mesmo quem não curte esse gênero literário. Sua narrativa brinca com nossa imaginação. As personagens criadas por ela são extremamente bem construídas e a descrição de cada cenário é muito vívida, capaz de confundir até mesmo o leitor, tamanha a sensação que é de estar fazendo parte da história.

No primeiro livro tivemos a oportunidade de conhecer a dinâmica do Caraval através da Scarllet, a mais racional das irmãs Dragna. A busca pela irmã para salvá-la não apenas do jogo, mas da tirania do pai, foi algo realmente fantástico. Entretanto, a personalidade aventureira, impulsiva e destemida da Tella tornou o segundo jogo ainda mais excitante. Ao mesmo tempo, o leitor acaba por conhecer intimamente o lado afetivo da irmã mais nova e perceber que, até no mais destemido coração existem receios e incertezas.

“A maioria de nós não admite, mas todos nós desejamos a realidade.”

(Página 224)

Muito mais do que um jogo no qual a imaginação vai longe, Lendário nos leva a refletir sobre até onde podemos ir em nome do amor e se há realmente um limite para defender aqueles que nos são caros. É uma história sobre ter confiança em si mesmo, em saber quem eu verdadeiramente sou e sobre se arriscar.

A edição das fotos é publicação da nossa parceira Editora Novo Conceito, que mais uma vez arrasou no visual, deixando-a a altura dessa história incrível!

Leitura necessária!

Até a próxima!

2 Comentários

  1. Marina Mafra21 set, 2019Responder
    • Le21 set, 2019Responder

deixe seu comentário