Mais lindo que a lua

Julia Quinn

Editora: Arqueiro

Páginas: 272

Ano: 2018

Sinopse:

Considerada "a rainha dos romances de época" pela Goodreads, Júlia Quinn já atingiu a marca de 10 milhões de livros vendidos. Mais Lindo Que a Lua, primeiro livro primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre sobre reencontro e desafios, romantismo e perseverança. Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim. Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças? Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?

Resenha:

Amor a primeira vista. Está aí um conceito bastante discutido pela sociedade. Cientistas afirmam se tratar apenas de um mito. Pesquisas mostraram que as experiências emocionais como amor e ódio só acontecem quando ocorre a ativação de estruturas cerebrais amplamente interligadas, que são influenciadas pela carga de informação que se acumula através dos sentidos humanos.

E onde fica todo o romantismo da história? Pois bem, deixando a ciência de lado, vamos falar da vida real. Dos sentimentos reais que envolvem o coração de todo ser humano. É claro que alguém por aqui já deve ter passado pela situação em que avistou uma pessoa desconhecida pela primeira vez e sentiu borboletas no estômago, um estremecimento nas mãos, e uma sensação de que o mundo está de ponta cabeça.

“- E acha que está apaixonada? Victoria, apenas os tolos e os poetas se apaixonam à primeira vista.
– Então suponho que eu seja uma tola – disse Victoria com entusiasmo. – Porque Deus sabe que não sou poetisa.” (Página 18)

Em Mais lindo que a lua, vamos vivenciar sobre o que acontece quando o amor a primeira vista surge no coração de duas pessoas. Pode ser uma obra de ficção, mas confesso que a história possui bastante realidade.

Robert Kemble, o sofisticado conde de Macclesfield jamais iria esperar encontrar o amor de sua vida em uma tarde qualquer. Não conseguia expressar o que aqueceu o seu coração ao pousar os olhos na jovem a sua frente que estava junto ao lago, mas de uma forma única ela era perfeita para ele.

“Victoria sabia que era verdade. O relacionamento dos dois terminara de forma abrupta. Provavelmente era o motivo por que vê-lo depois de todos aqueles anos era tão difícil. Mas ela não queria encará-lo agora. Queria varrê-lo para baixo do tapete e esquecê-lo.” (Página 86)

Victoria Lyndon não esperava se apaixonar profundamente por um desconhecido, fosse ele um conde ou não. Mas naquela tarde, ao conhecer Robert, o mundo da jovem dama virou ao avesso. Sendo a filha mais velha de um vigário, um pedido de casamento feito por um conde era algo que nunca havia passado em sua cabeça.

O amor a primeira vista foi tão avassalador entre ambos que Robert decide que se casará com Victoria. Mas não preciso dizer que na vida nem tudo são flores né? Os pais dos dois foram contra a união dos filhos, cada um alegando motivos diferentes para a desistência do casamento.

“No fundo de seu coração, Victoria sabia que Robert tinha o poder de fazê-la feliz além de seus maiores sonhos. Mas também tinha o poder de destruir seu coração. E ele já havia feito isso uma vez…Não, duas vezes.” (Página 148)

O que mais o jovem casal apaixonado poderia fazer para viverem aquele amor? Fugirem juntos é obvio. Porém o plano de fuga dá totalmente errado, e assim tanto os pais quanto eles próprios acreditaram que foi melhor dessa forma, pois o amor entre eles era impossível.

“- A vida não se trata de arrastar-se para debaixo de uma pedra e ver o mundo passar, esperando que nada nos afete. – Ele se ajoelhou e começou a ajudá-la a recolher os alfinetes. – A vida é sobre se arriscar, sobre tentar alcançar a lua.” (página 154)

Após sete anos separados, a vida mostra como ela pode ser uma grande caixinha de surpresas e o destino os une novamente. Robert fica em choque ao constatar como Victoria ainda mexe fortemente com o seu coração, mesmo após ter destruído os seus sonhos. E a dama percebe que os encantos de Robert ainda a deixam louca. Mas como Victoria poderia dar outra chance ao homem que lhe pediu em casamento e depois desapareceu levando suas esperanças embora?

“- É mesmo? Então qual é o caminho para o seu coração? Aceito de bom grado todo e qualquer conselho.
Victoria nem hesitou antes de dizer:
– Comida.” (Página 212)

Dois corações que ainda batem loucamente um pelo outro, mas que foram fustigados, criando mágoas e feridas enormes. Robert promete que terá Victoria dessa vez custe o que custar. A vida lhe tirou sete anos ao lado da mulher que amava, mas ele não deixará que isso aconteça novamente.

Ah meus caros, depois dessa história até a pessoa mais cética do mundo vai passar a acreditar em amor a primeira vista. É impossível não se sentir na pele de Robert e Victoria quando vemos o quanto o sentimento entre eles é enorme, e que por causa disso qualquer sofrimento que existir, será ainda maior.

Alguns devem pensar que a Julia Quinn me suborna para elogiar tanto ela. hahah Mas quem já leu algo dessa mulher incrível sabe muito bem do que eu estou falando. E com esse livro não poderia ser diferente, Julia criou uma história linda e emocionante sobre os reencontros que a vida dá, sobre o perdão, e sobre ser perseverante e não desistir mediante os desafios que nos são impostos.

“- Você me faz forte – disse ele. – Tudo o que é bom em mim… Você me faz assim. Com você torno-me mais do que eu sou. – Ele deu de ombros, indefeso. – O que estou dizendo não parece fazer sentido. Não sei como explicar. Não tenho palavras.” (Página 227)

Se eu recomendo esse livro? Com todo o meu coração e ainda digo mais, essa é uma leitura obrigatória a todos os fãs de um bom romance de época cheio de cenas cômicas e personagens cativantes. Ah! E saibam que esse é o primeiro livro da duologia Irmãs Lyndon, e fontes me contaram que muito em breve o segundo será lançado.

14 Comentários

  1. Marina Mafra07 fev, 2018Responder
  2. Le07 fev, 2018Responder
  3. Camila Carvalho07 fev, 2018Responder
  4. Naiara Aimee08 fev, 2018Responder
  5. Marina09 fev, 2018Responder
  6. Ane Carol09 fev, 2018Responder
  7. Rafaela09 fev, 2018Responder

deixe seu comentário