Mil beijos de garoto

Tillie Cole

Editora: Planeta

Páginas: 400

Ano: 2017

Sinopse:

Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.

Milbeijosdegarototillicole

Existem livros que parecem ter uma áurea ao seu redor, que nos encantam e nos preenchem de forma surreal. Alguns nos agraciam com finais clichês, outros nos supreendem trazendo situações difíceis, mas, que nos deixam lições tão puras e ao mesmo tempo intensas que é impossível não nos transbordar.

Assim aconteceu comigo logo após ter em mãos o exemplar de “Mil Beijos de Garoto”. Um livro que não guardaremos apenas na estante, mas que sem dúvidas ficará pra sempre na memória e no coração!

Rune, aos 5 anos de idade deixou seu lar na Noruega e desembarcou a contragosto na Geórgia nos EUA, por causa do trabalho de seu pai.
Enquanto caminhava em seu quintal com a rebeldia típica infantil por ter deixado sua casa e seus amigos para trás, seus olhos foram atraídos por uma linda garotinha pulando a janela, com seu vestido azul brilhante todo sujo de lama, um enorme laço branco na cabeça e com um sorriso nos lábios que poderia encantar até o mais transtornado dos garotos.

Não houve necessidade de Rune tentar uma aproximação, pois, Poppy, a doce, simpática, aventureira, amante do por do sol e das flores de cerejeiras, também aos cinco anos de idade já era dona de uma personalidade ímpar.
Sempre curiosa e atenciosa, assim que percebeu a presença daquele garoto de cabelos longos que seria seu novo vizinho, logo correu, apertou sua mão e o declarou seu melhor amigo, seu viking.
Essa atitude mudou toda as perspectivas e o humor de Rune, que até aquele momento se negava a aceitar viver naquele lugar.

Viver intensamente e criar memórias do nascer do sol e das flores de cerejeiras, eram as coisas que mais fascinavam a pequenina, e sua avó era sua fiel companheira nessas aventuras.
Mas, a vida se encarregou de levar um dos bens mais preciosos de sua vida: a vovó! No entanto, antes de partir ela deixou uma grande aventura em suas mãos: um pote contendo mil corações de papel, onde Poppy anotaria todos os beijos que desse ao longo da vida; mas não os beijos sem importância, e sim aqueles que fizessem o seu coração quase explodir.

“Vovó também disse que as melhores coisas da vida morrem rápido, como a flor de cerejeira. Porque algo tão belo não pode durar pra sempre. Ela permanece por um breve momento no tempo para nos lembrar de como a vida é preciosa, antes de desaparecer tão rápido quanto chegou.”

Essa despedida entre nossa pequena protagonista e sua avó, é sim, uma das partes mais emocionantes do livro, e nos faz querer viver intensamente todas as coisas boas que a vida tem a nos oferecer, afinal, nosso breve momento nesse mundo deve ser aproveitado com pessoas, lugares e amores, os mais lindos e significativos que pudermos encontrar.
Essa mensagem, sem dúvidas fora algo que marcou o livro, e no decorrer das páginas acompanhei cada passo rumo aos mais belos lugares e sentimentos que os nossos protagonistas iam encontrando pelo caminho.

As aventuras de Poppy começaram logo cedo, e entre nascer do sol e flores de cerejeiras, muitos foram os beijos e sentimentos acumulados nos corações dos nossos queridos personagens. No entanto, aos 15 anos de idade, Rune precisou voltar para a Noruega e ficar por cerca de dois anos, o que o deixou revoltado com tudo e com todos, afinal, se afastar da menina dos seus olhos nunca esteve em seus planos.

Mesmo combinando de se falarem todos os dias durante esse tempo que passaria fora, Poppy misteriosamente desaparece e Rune se transforma num jovem inconformado e revoltado.

“Capturei este raro momento: o instante exato em que o coração de alguém se parte.”

Ao retornar para a Geórgia anos depois, encontrar Poppy e não a julgar por ter desaparecido, fora algo impossível para o garoto. Ambos mudados, cada um enfrentando seus demônios, mas a forma como Poppy lidou com isso foi – e sempre será – inspiradora.

“Mesmo se ela não tivesse me dito por que havia me afastado, eu teria achado meu caminho de volta pra ela. Mesmo com toda mágoa, dor e raiva, eu seria atraído de volta como uma mariposa para uma lâmpada. Eu jamais poderia ficar longe.”

Eu tenho muito o que falar sobre esse livro, e ao mesmo tempo falta-me palavras pra expressar os sentimentos que afloraram logo após concluir a leitura. Algo inquestionável são os lenços que precisamos ter por perto, pois a intensidade do amor e da doação existentes entre as páginas são inigualáveis.
Sabemos que é na infância que começamos a criar laços, distinguir sentimentos e nos estruturar para as adversidades da vida. É nela que criamos nossas raízes para poder futuramente florir. Então, por mais estranho que seja essa relação inicial entre duas crianças, a autora nos faz perceber que é ali que está contido o amor mais puro e zeloso que pode existir entre a raça humana.
A Tillie Cole criou um enredo livre de falhas, mostrando que mesmo na juventude onde as relações são mais superficiais, em algum lugar, em alguma pessoa poderemos encontrar o amor em suas mais lindas – e dolorosas – formas.
Ela nos apresenta personagens extremamente reais, que amam, sofrem, se doam, enfrentam o mundo, mas que também erram e tentam – nem sempre com sucesso – juntar os pedaços.
Poppy e Rune são exemplos de que amores podem durar uma vida, de que encontros e desencontros fazem parte do nosso ciclo, de que a vida é pra ser vivida, bem e ao máximo.

Esse foi o primeiro livro da autora publicado no Brasil, sem dúvidas um marco em sua estréia na ficção young adult. Então, não foi por pura sorte e sim por qualidade que “Mil Beijos de Garoto” foi um dos romances finalistas do Goodreads Choice Awards 2016 e até hoje arranca lágrimas dos leitores!

Aos que leram, e aos que ainda vão ler, nunca esqueçam dessa frase:
“E meu coração quase explodiu!”, pode acreditar, isso vai acontecer!

16 Comentários

  1. Nana04 fev, 2020Responder
    • Taize Lima04 fev, 2020Responder
    • Marina Mafra04 fev, 2020Responder
  2. Marina Mafra04 fev, 2020Responder
    • Luísa04 fev, 2020Responder
      • Taize Lima04 fev, 2020Responder
    • Taize Lima04 fev, 2020Responder
  3. Mari Vieria04 fev, 2020Responder
    • Taize Lima04 fev, 2020Responder
  4. Iris Vanessa04 fev, 2020Responder
    • Taize Lima04 fev, 2020Responder
      • Iris Vanessa05 fev, 2020Responder
  5. Taize Lima05 fev, 2020Responder
  6. Elaine Seramim10 fev, 2020Responder
    • Taize Lima12 fev, 2020Responder

deixe seu comentário