Nova era

Paloma Brito

Editora: Pandorga

Páginas: 224

Ano: 2018

Sinopse:

Arien é uma elfa da luz que nasceu marcada por um elemento incomum. Graças a isso seus poderes são raros – e inúteis, na opinião dela – e a deixam vulnerável. Mesmo insatisfeita, Arien precisa aprender tudo sobre seus poderes porque o perigo está à espreita e mais perto do que ela imagina. A vida de Arien muda completamente quando finalmente tem a ligação com seu Aías, sua alma irmã. Conhecendo o segredo de Calion e revelando sua própria história para ele, um sentimento novo cresce entre os dois enquanto o mundo em que vivem, Alfheim, é invadido e atacado pelos elfos negros sem nenhum motivo aparente. Ameaçada e perseguida, ela terá de enfrentar seus temores para descobrir os mistérios que a cercam. E para permanecer viva.

Resenha:

Quando os primeiros gritos começaram a surgir, libertei-me do torpor do choque de realidade: aquilo estava mesmo acontecendo! Parecia que todos os meus medos e pesadelos criaram vida e vieram para me assombrar. (Página 200)

Em Alfheim, todos os elfos possuem uma “alma-irmã“, chamada Aías. Encontrados pelo destino, eles passam a se defender, lutar e viver juntos. É algo tão importante na cultura deles, que a morte de um, imediatamente mata o outro. Não necessariamente é um elo romântico, mas fraternal e de amizade.

Nossa protagonista, Arien, é a única que ainda não encontrou seu Aías. Por isso, se sente ridicularizada e excluída. Além de ter perdido a irmã assassinada, em um incidente até hoje não esclarecido, onde a irmã salvara a vida dela. Para completar as suas esquisitices, Arien não conhece todos os seus poderes e os poucos que conhece, não consegue controlar.

Embora muito amada pelos pais, nada parece satisfazê-la.

O tempo podia até amenizar a dor da perda e conformar os corações revoltados, mas nunca apagaria as memórias daqueles que amaram verdadeiramente. (Página 84)

Até que, misteriosamente, o seu Aías aparece.

Calion tem consciência do quanto demorou para encontrar Arien, mas a ligação entre dois se torna tão forte, que mesmo entre mágoas e segredos, eles se aproximam feito imã.

Seus olhos ainda me assustavam, intimidavam tanto quanto me fascinavam. (Página 42)

Essa aproximação chegou no melhor momento. Há um grande mal rondando Alfheim e todos começam a se preparar para uma guerra, embora não saibam quando ou de onde virá o ataque.

Eu não parecia mais com aquela elfa de poucos dias atrás desolada por não ter um Aías. Eu me sentia vibrante ao seu lado, como se fosse capaz de tudo e mais um pouco. (Página 53)

Arien não faz ideia do poder que tem nas mãos, mas mal tem tempo de absorver os novos acontecimentos. Logo se vê encarando o seu passado e obtendo respostas, que embora procurasse, estão longe de ser satisfatórias.

A autora criou um universo mágico, encantador. Nos fazendo desejar conhecer as personagens e andar por todas as paisagens.

Narrado pela protagonista, com uma escrita doce e tranquila.

Achei o livro curto, queria muito mais da história. Por sorte, termina dando a entender que haverá mais e como parceira da autora, saberei em breve! Já estou ansiosa.

A leitura é tão gostosa! Recomendo muito.

…as tempestades sempre passam. (Página 25)

Obrigada pela confiança e amizade Pa, me apaixonei pela sua escrita. Tão doce, quanto você.

Para saber mais da autora:

Instagram | Facebook | Blog | Skoob

O amor sem o perdão é o suicídio da felicidade. O perdão não é uma fonte inesgotável de bondade… Mas, se o amor for mais forte que o orgulho, haverá perdão. (Página 140)

Fiz a leitura em dupla com a minha “marlinda”, Le Vamp. Passa lá no instagram dela, para saber o que ela achou da leitura.

deixe seu comentário