O último adeus

Cynthia Hand

Editora: Darkside

Páginas: 352

Ano: 2016

Sinopse:

O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.

Resenha:

Perder alguém que amamos nunca é algo fácil. Saber que essa pessoa não existe mais no mundo dos vivos, que nunca poderemos vê-la novamente, ouvir o timbre de sua voz, o calor de um abraço, isso dói. Dói profundamente na alma, como se um pedaço do nosso coração estivesse sendo destruído para sempre. Mas a morte é algo inevitável, estamos vivos nesse mundo apenas de passagem, todos temos o nosso tempo de vida, por mais que tragédias encurtem esse tempo, uma hora a morte chegará para todos.

A vida é algo tão frágil, mas tão belo em sua forma, que chega a ser inacreditável quando sabemos que alguém teve a coragem de cometer suicídio. Não sabemos o que passa nos corações de quem decide acabar com a própria vida, mas não é uma decisão aceitável. Os problemas podem surgir, as dificuldades, a tempestade, porem estar vivo é um milagre e as pessoas deveriam agradecer por isso.

“Claro, não faz sentido ficar brava. É improdutivo. Eles ainda não entendem. Que estão esperando por aquele telefonema que mudará tudo. Que cada um vai acabar se sentindo como eu. Porque alguém que eles amam vai morrer. É uma das certezas mais cruéis da vida.” (Página 21)

Em O último adeus somos apresentados a Lex (Alexis), uma jovem de 18 anos que está passando por um dos piores momentos da vida de uma pessoa; a perda de alguém que amamos.

“Eu contei a ele sobre o buraco em meu peito. Sobre como tenho a impressão de que vou morrer nas vezes em que o buraco aparece. Que estou morrendo de medo que esses momentos aconteçam cada vez mais, e de que eles durem cada vez mais tempo, até que eu só sinta o buraco, e então, talvez ele me engula para sempre.” (Página 43)

Como uma forma de expressar os seus sentimentos que estão presos em uma cascata de fortes emoções, Dave, seu terapeuta, aconselha Lex a escrever um diário. Pensar em um destinatário qualquer, e contar tudo o que aflige o seu coração. Tyler, seu irmão dois anos mais novo, cometeu suicídio há sete semanas, e com isso toda a felicidade de Lex morreu com ele.

“O tempo passa É a regra. Independentemente do que aconteça, por mais que pareça que tudo em sua vida está congelado em um determinado momento, o tempo segue em frente.” (Página 164)

Um turbilhão de acontecimentos que uma garota de 18 anos ainda não tem forças suficientes para enfrentar, abalam profundamente a vida de Lex. A perda do irmão não está sendo nem um pouco fácil de tolerar, o divórcio dos pais ainda é algo que a machuca profundamente, a pressão das provas para entrar na faculdade de seus sonhos, e os problemas com Limão, seu carro velho que sempre dá algum problema.

Viver não é fácil, mas para Lex tem sido uma experiência profunda e lamentável. A enorme onda de tristeza e dor que parece afogá-la diariamente é algo que se transforma em um desafio a cada raiar do sol.

“Essa coisa toda tem me prejudicado, penso. Sou uma tábua exposta à chuva, é impossível me desempenar. Agora sou assim, retorcida.” (Página 189)

Em meio a tanto sofrimento, Lex e sua mãe passam a sentir a presença de Tyler em casa. O cheiro da colônia preferida dele, passos no corredor, e vultos. Seria apenas o reflexo da dor de ambas ou algo a mais? A saudade é tão forte ao ponto de fazer as pessoas enxergarem algo que não existe mais?

“Deve haver uma regra geral idiota do universo de que independentemente do que aconteça, por mais que as coisas fiquem ruins, tudo vai ficar bem no fim.” (Página 267)

Bom meus caros, essa não foi uma leitura fácil. A dor e a melancolia das páginas praticamente me envolveram ao longo de toda a história. Só conseguia me colocar no lugar da Lex e pensar o que seria da minha vida se perdesse a minha irmã mais nova. Meu coração foi tomado pela tristeza várias e várias vezes e sempre fechava o livro para respirar e acalmar os ânimos.

O último adeus é um livro forte sobre o que as pessoas fazem depois da morte de alguém. A vida continua seguindo o seu curso e precisamos aprender com ela. Mas fácil não é, nunca é. A dor nos engolfa de tal maneira que ficamos parados no tempo.

7 Comentários

  1. Camila Carvalho11 abr, 2018Responder
  2. Le11 abr, 2018Responder
  3. Marina Mafra11 abr, 2018Responder
  4. Camila Wad12 abr, 2018Responder

deixe seu comentário