Para todos os garotos que já amei

Jenny Han

Editora: Intrínseca

Páginas: 320

Ano: 2015

Sinopse:

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos. Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Resenha:

Se o amor é como uma possessão, talvez minhas cartas sejam meu exorcismo. (Página 7)

Lara vivia com seu pai e mais duas irmãs. Ela era a filha do meio. Perderam a mãe muito cedo e mais velha, Margô, passou a tomar conta de tudo.

Quando chegou o momento de Margô ir para a faculdade, toda a responsabilidade foi deixada com Lara. Só que ela era extremamente atrapalhada e para ajudar, não se dava tão bem com a caçula, Kitty.

Odeio mudanças mais do que qualquer outra coisa. (Página 27)

No auge da adolescência, a parte romântica da vida de Lara não era considerada um sucesso. Mas de cada fracasso, ela se despediu em cartas, que nunca foram enviadas, todas eram mantidas escondidas no seu quarto.

Quando escrevo, não reprimo nada. Escrevo como se ele nunca fosse ler. Porque não vai mesmo. Cada pensamento secreto, cada observação cuidadosa, todos os sentimentos que guardei dentro de mim, coloco tudo na carta. Quando termino, fecho o envelope, escrevo o endereço e coloco dentro da caixa de chapéu azul-petróleo. (Página 7)

Você leu o trecho acima? Pois é, Lara não foi muito esperta, já que nas “cartas secretas”, ela deixou o endereço de cada destinatário nos envelopes. Por um ato de pura maldade, ou equívoco, todas as cartas foram enviadas e para desespero de Lara, os que iam recebendo, começaram a procurar por ela.

…nas questões do coração, não dá para prever como uma pessoa vai se comportar. (Página 17)

Sentimentos antigos foram desenterrados, outros revelados. Não eram muitas cartas, muitos eram os segredos escritos nelas.

Como um desastre de trem em câmera lenta. Para que uma coisa dê errado de um jeito tão colossal e terrível, tudo precisa acontecer na ordem certa e no momento certo, ou, nesse caso, no momento errado. (Página 78)

Sem saber como resolver a situação e sem a ajuda da irmã mais velha, que sempre foi o seu apoio em todos os momentos, Lara se enrola ainda mais criando um relacionamento de mentira, sem pensar que a mais enganada nessa história era ela mesma.

Como posso saber o que é real e o que não é? Parece que sou a única que não sabe a diferença. (Página 232)

A autora tem uma escrita doce e cômica, me envolveu demais. Quando contei que estava lendo ele, algumas pessoas brincaram dizendo serem amigos da protagonista e agora eu consigo entender. É muito fácil entrar na história e viver cada atrapalhada com a Lara Jean. Espero não ser apedrejada por esse comentário, mas achei a escrita parecida com a do meu John Green. Só isso já é motivo para saber que eu amei, né? hehe

…acho que as pessoas não mudam a essência. Elas são quem são. (Página 100)

Esse é o primeiro livro de uma trilogia e graças a Deus por isso, pois acaba de uma forma muito desesperadora. Tenha em mãos o segundo, antes de finalizar a leitura desse. Recomendo mais isso que a própria leitura!haha

Enfim, Lara Jean é incrível e eu não acho justo que você viva em um mundo sem conhecê-la!

A vida não precisa ser tão planejada. Deixe rolar e veja o que acontece. (Página 110)

11 Comentários

  1. Edna Nunes08 mar, 2018Responder
  2. Sam Joyce09 mar, 2018Responder
  3. Rubyane09 mar, 2018Responder
  4. Le09 mar, 2018Responder
  5. Analia Menezes11 mar, 2018Responder

deixe seu comentário