quando a bela domou a fera

Eloisa James

Editora: Arqueiro

Páginas: 320

Ano: 2017

Sinopse:

Eleito um dos dez melhores romances de 2011 pelo Library Journal, Quando a Bela domou a Fera é uma deliciosa releitura de um dos contos de fadas mais adorados de todos os tempos. Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher. Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas. No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?

“Nada me faz correr para uma livraria mais rápido do que um romance novo de Eloisa James.”
– Julia Quinn

“Uma brincadeira picante, prazerosa e romântica. Um verdadeiro exemplo de como se deve escrever um romance.”
– People

“Quando a Bela domou a Fera tem uma trama que nos prende desde o primeiro capítulo, personagens que nos fazem acreditar que são pessoas de verdade (com quem nos preocupamos) e uma imagem lindamente detalhada da vida de três séculos atrás.”
– Connecticut Post

 

Resenha:

Acredito que toda boa alma existente no mundo gostando ou não, conhece as histórias dos contos de fadas. Aquelas narrativas infantis e que alegram os corações das crianças e de algumas não crianças também. Mas e se existisse uma nova versão de uma dessas histórias um pouco mais adulta, e cheia de romances prazerosos ao leitor mais experiente?

Pois bem, lhes apresento Quando a Bela domou a Fera, uma releitura fantástica do clássico que conquistou e conquista gerações de pessoas ao longo dos tempos. Mas não se engane pensando que teremos uma “Fera” feia e desfigurada por aqui.

Somos apresentados a Piers, o conde de Marchant, um homem marcado pela dor e de acordo com alguns boatos, o pequeno defeito que possui na perna, o deixou totalmente incapacitado de possuir um herdeiro. Um médico dotado de um péssimo temperamento que afasta qualquer pessoa ao seu redor, exceto seus pacientes. Tão feroz e mortal quanto uma fera.

Em suma, é rara a mulher que, de fato, ofusca o brilho do sol. Ainda mais uma mulher com dentes perolados, voz de cotovia e um rosto tão lindamente esculpido que os anjos chorariam de inveja. (página 1)

E temos Linnet a nossa “Bela”. Uma das moças mais belas que rodeiam os salões de Londres durante a temporada. Possui um encanto tão forte, que até um príncipe caiu aos seus pés. E assim sua ruína em Londres começou, um escândalo maldoso ecoou pelos cantos da realeza, deixando nossa bela Linnet entregue às más línguas.

Para não deixar sua reputação pior do que já está, ela precisa urgentemente encontrar um futuro marido. E quem acaba sendo o felizardo? Sim meus caros, Piers a Fera. Linnet acredita que conseguirá fazer com que ele se apaixone perdidamente por ela, mesmo com o temperamento difícil que ele possui.

No fundo, ela não tinha medo de perder sua reputação… Tinha medo de perder seu coração. Mas não havia motivo para compartilhar esse medo oculto. (página 213)

Mas o tiro sai pela culatra, e quem se apaixona é ela. Linnet se vê entregue a um homem que talvez nunca seja capaz de amar, tamanha é a dor e a infelicidade que ele carrega dentro de seu coração. Porém, por um grande amor estaria ela disposta a domar o coração e o gênio maldito de Piers? E será que ele estaria disposto a amolecer o coração de gelo que possui, por alguém tão única e especial quanto Linnet?

Que narrativa espetacular, Eloisa James soube criar personagens cômicos e trágicos ao mesmo tempo. Linnet entrou para o time de mulheres fortes, decididas e persistentes que eu admiro. Me peguei pensando na história constantemente, não queria nem estudar pras provas da faculdade. Piers é uma pessoa que merece compreensão, não o julgue antes de descobrir quem exatamente ele é ok? haha.

Uma narrativa que prende o leitor desde as primeiras até as últimas páginas, um núcleo de personagens secundários que dão uma nova cor a história, repleta de diálogos cômicos e inteligentes. Gostaria de apagar esse livro da memória, só para ter o prazer de ler novamente. Se isso é uma indicação? Meus caros se joguem com toda a vontade do mundo nesse livro. Alguém aqui já leu também? Contem-me, por favor, preciso compartilhar sentimentos sobre esse livro hahaha

– Ela é como minha outra metade – disse Piers raivosamente, mantendo a cabeça abaixada. – Minha outra maldita metade, como uma espécie de piada que Platão inventou. Como algo que eu nunca quis e, então, lá estava ela. (página 292)

4 Comentários

  1. Vanessa Pereira06 nov, 2017Responder
    • Kalyne Lauren07 nov, 2017Responder
  2. Marina Mafra08 nov, 2017Responder
  3. Leila Cunha09 nov, 2017Responder

deixe seu comentário