Senhorita Aurora

Babi A. Sette

Editora: Verus

Páginas: 342

Ano: 2018

Sinopse:

Uma história romântica e encantadora, com toque de humor e carregada de emoção, da mesma autora de Não Me Esqueças. Nicole é uma jovem bailarina e está prestes a realizar seu sonho: estrear no papel principal em uma peça na Companhia de Ballet de Londres. Tudo estaria perfeito se não fosse pela presença de um dos seus diretores, o temido Daniel Hunter, um maestro prodígio de temperamento difícil, com um humor sombrio e que desperta em Nicole sentimentos contraditórios. Quando uma tempestade de neve isola os dois em uma mansão centenária, Nicole e Daniel serão obrigados a encarar não apenas os segredos que atormentam o maestro, mas também uma paixão proibida — e avassaladora — que nasce entre eles. Entre a tão sonhada carreira na dança, um amor intenso como ela nunca sentiu e a própria segurança, Nicole se verá diante de escolhas que parecem impossíveis. E caberá a ela resgatar Daniel de seu próprio passado... Senhorita Aurora é um romance poderoso, tocante e perturbador, que mostra que todos merecem uma segunda chance, até mesmo alguém com fama de monstro.

Eu morria de vontade de ler esse livro, mas não sei o motivo. Ninguém que eu tenha intimidade já leu, ninguém me recomendou, eu não conhecia a autora e como não leio sinopses, não fazia ideia do assunto. Só consigo imaginar que foi obra de Deus colocá-lo no meu caminho. E quero começar essa resenha agradecendo a autora por tê-lo escrito, pois a história que hoje vou apresentar para vocês é, sem dúvidas, a minha brasileira favorita.

Tudo o que parecia errado foi consumido no nosso beijo. Nada nunca foi tão certo.

Começamos conhecendo Nicole, uma jovem com um histórico triste, mas com uma mãe que sempre batalhou para realizarem o grande sonho das suas: ver a filha dançando como bailarina profissional.

Você dança com o coração e com a alma, isso nenhuma escola, por melhor que seja, pode ensinar… Você nasceu bailarina.

Após acompanharmos muitas sapatilhas remendadas e suor da protagonista, celebramos a conquista de um papel principal em uma das melhores companhias de balé, em Londres. Ela seria Aurora, em A Bela Adormecida.

Ter o papel principal não torna as coisas mais fáceis, Nicole continua treinando, ensaiando, para que seu desempenho nas apresentações fosse impecável.

A companhia foi presenteada com a participação de um dos maiores maestros. Um rapaz carrancudo, que tinha talento e grosseria na mesma medida. Para desespero geral, ele resolveu não apenas cuidar da parte musical, como se meter e acompanhar os ensaios dos bailarinos.

Daniel Hunter podia até ser um dos melhores maestros do mundo, mas poucos personagens me despertaram tanta antipatia. Tive pena da Nicole que, como se não bastasse toda pressão que já enfrentava, tinha que aguentar as explosões do Sr. Hunter.

Mas o pior é que a pequena e doce Ni se sentia atraída pela carranca do chefe e sempre que estavam juntos ela não controlava suas reações e sentimentos.

Minha curiosidade sobre Daniel Hunter seria o meu fim. Eu já devia saber disso.

Sua curiosidade a faz descobrir que há uma tristeza profunda dentro desse homem que ela considerava tão forte e a intensidade das suas investidas para compreende-lo melhor, aproxima os dois.

As coisas mudavam muito rápido na bipolaridade dele e talvez na minha. Que porcaria, eu nunca me senti mais feliz do que agora e nunca me senti tão miserável há menos de vinte minutos. Se essa era uma mostra do que viveríamos juntos, eu só tinha uma certeza: nunca, jamais, morreríamos de tédio.

Os segredos de Hunter trouxeram um momento sombrio e até sobrenatural para a história. Acompanhamos os dilemas de Nicole sobre acreditar ou não no que está diante dos seus olhos.

Você merece, Nicole, alguém completamente diferente de mim… porque a morte me ama e ninguém quer estar perto dela… Eu… eu não quero você perto da morte.

Mas será que há limites do que aceitar da pessoa pela qual estamos apaixonados?

O motivo era a música. Foi ela que me contou que a alma do senhor Hunter era linda!

Mesmo com medo e sem ter todas as respostas, a bailarina deixa claro para o chefe que não se importa com o que venha com ele, desde que eles possam ficar juntos.

Sou a merda de um pavio curto e não estou sabendo lidar com o que venho sentindo por você.

E quando estamos certos de que há esperança para o casal, uma tragédia os afasta brutalmente, fazendo Nicole se esquecer de todos os conselhos que havia dado para o amado.

Aqui nenhum milagre ou magia parece ser grande o bastante para nos libertar do peso do que carregamos.

Essa história não é um conto de fadas, embora tenha me encantado tanto quanto, mas traz uma mensagem muito forte sobre existir um lugar no mundo para cada um de nós, não importando quais as nossas diferenças e limitações.  E o principal, nos faz acreditar que quando estamos diante da porta certa, ela se abre sem esforço, nos fazendo agradecer pelas tantas outras que se fecharam, estragando nossos sonhos, pois o que o destino nos reservava era absurdamente maior do que tudo que mais desejávamos.

Odiava me sentir frágil. Tinha muito medo de admitir como o controle é uma ilusão ferrada.

Da série de livros que vai mudar a sua forma de enxergar o mundo.

Dentro do amor que sentimos uns pelos outros, está também o respeito com as escolhas dessas pessoas e existe um limite até onde a nossa opinião deve e pode ir.

Narrado em primeira pessoa pela protagonista, a autora também nos presenteia com pequenos capítulos na visão de Daniel. O texto tem uma leveza cômica, embora o enredo tenha um rumo pesado. Há uma mistura de magia e sobrenatural, alimentando a princesa que existe em mim. Haha Li em dois dias, a escrita fez parecer uma conversa íntima com a protagonista que trouxe uma sensibilidade absurda até nas cenas que partiram meu coração.

Brincando de ser madrasta, a vida pode ser muito, muito, muito filha da puta.

Me apaixonei pelo trabalho da autora e já fui atrás dos seus demais livros. Ela escreve com a alma e toca a alma da gente.

Um livro que vou recomendar pra sempre!

A vida não faz pessoas fortes; ela te joga os desafios e você escolhe se vai deixar que eles te atropelarem, ou se vai passar por cima.

01 Comentário

  1. Le08 nov, 2019Responder

deixe seu comentário