Storm

M.S.Fayes

Editora: Pandorga

Páginas: 336

Ano: 2019

Sinopse:

Storm Walker. Thunder Storm. Seu nome era tão intenso quanto ele próprio. Tinha como meta de vida dificultar a vida das irmãs, ao se promover o protetor da pureza das mesmas. Zeloso, ciumento e dotado de um carisma único, ele era a alegria da festa. Como diziam: Ele era a festa. Ao entrar na Universidade de Princeton, Storm tentava correr atrás do sonho de se transformar em um grande jogador de futebol americano. A decisão de levar a vida numa boa, sem grandes dramas e problemas o tornavam o típico cara que todos queriam ao redor. Até que seu caminho se cruzou com o de Taryn. De um singelo gesto de solidariedade surgiu uma paixão devastadora e tão tempestuosa quanto seu nome. Storm já não era o mesmo. E nunca mais seria. Assim como aqueles que tiveram a sorte de cruzar seu caminho.

Esse livro fecha a trilogia dos irmãos Walkers, tão queridos no meu coração. Para ler as resenhas anteriores ou dos demais livros da autora clique aqui: M.S.Fayes.

Essa série mexe com o meu coração, pois foi através dela que conheci a autora e quem me conhece sabe do amor que tenho por essa mulher. Fiquei muito feliz por ela ter fechado essa trilogia com um livro todinho só para o personagem que mais amei de todos.

Storm esteve presente nos outros livros e pra mim sempre roubou qualquer cena. Irmão da nerd Rainbow e gêmeo da expressiva Sunshine, meu crush sempre se destacou ao cuidar de forma excessiva das irmãs, sendo o terror de qualquer um que se aproximasse das meninas.

Além de ter um nome imponente, o próprio Storm, como era mais conhecido, tinha uma presença tão vibrante e marcante que não deixava passar batido em nenhum ambiente em que estivesse.

Nessa história ele está na faculdade e indo em busca dos seus sonhos, mas não perdeu o vínculo com a família, já que mora com os dois cunhados. Ele aprendeu a controlar melhor o ciúmes, embora ainda nos divirta com algumas recaídas. Mas vamos combinar, quem não ama o Thomas e o Mike? Ele tem os melhores cunhados do mundo.

O ponto alto da história foi que Storm se apaixonou. (Sim, mas eu sobrevivi haha)

Taryn era uma menina tímida e completamente diferente das que costumavam se atirar no time. Eles se conheceram através de uma ação social onde ela procurava doadores de medula óssea, seu interesse era extremamente pessoal, pois encontrar o doador certo poderia salvar a vida do seu pequeno irmão, Vadden, que também atende pelo nome de cupido involuntário dessa casal.

O contexto com Vadden também trouxe um tipo de drama diferente e muito bem elaborado para a história. O seu envolvimento com Storm foi um dos principais motivos do amadurecimento do protagonista e em um nível para o qual eu não estava preparada.

Às vezes, a cura poderia estar tão pertinho , ao alcance de nossas mãos, bem debaixo de nossos narizes, mas não estávamos nos dignando a olhar ao redor.

Tive um apego tão intenso com essa série que, o final me fez sentir um tipo de orgulho por tudo que Storm viveu, como se ele fosse real.

É o tipo de série que vai deixar saudade e me faz muito feliz tê-los na estante. As edições ficaram maravilhosas em capas e diagramação. Foi um trabalho impecável.

Só consigo agradecer a Martinha por ter criado essa família que se tornou tão minha quanto a minha de verdade. 💜💛💙

2 Comentários

  1. Martinha28 jul, 2019Responder
  2. Martinha28 jul, 2019Responder

deixe seu comentário