Sweeney Todd

Thomas Peckett Prest

Editora: Wish

Páginas: 320

Ano: 2018

Sinopse:

Senhoras e senhores... a verdade é sempre bela, e preciso dizer que as tortas da sra. Lovett são feitas com carne humana!” Famosa graças às adaptações para o teatro e para o cinema, a lenda do barbeiro demoníaco da Fleet Street chega pela primeira vez ao Brasil em seu enredo original. Publicado em 1846 sob o título “O Colar de Pérolas”, o livro conta a história da macabra parceria entre um barbeiro assassino, Sweeney Todd, e a fabricante de tortas mais famosa da cidade, a sra. Lovett, que desenvolveram juntos um modelo de negócio muito lucrativo e, ao mesmo tempo, muito perigoso. No entanto, mistérios colocam em risco a sociedade aparentemente bem-sucedida: o desaparecimento de um forasteiro e seu colar de pérolas, a busca incansável de uma jovem apaixonada pelo seu amado e o terrível cheiro nas câmaras subterrâneas da Igreja de St. Dustan. Sweeney Todd é um dos primeiros clássicos da escrita britânica de horror. Ele combina a história de assassinatos em série com um subenredo romântico envolvendo decepção, disfarce e investigação, tendo como pano de fundo as ruas escuras e desagradáveis de Londres.

O amor vence todos os obstáculos. A garota mais fraca e mais ineficiente do mundo, se tiver dentro de si a consciência de que o amor nada teme, pode conseguir muitos feitos. Sinto que, nesse caso, eu poderia afastar todos os meus medos e terrores comuns de menina. E se houver perigo, eu perguntaria o que é a vida para mim sem tudo o que poderia adorná-la e torná-la linda? (Página 149)

Primeiro de tudo, preciso destacar que esse não é o meu estilo literário favorito, não para justificar o que eu possa não ter gostado da obra, mas para que possam compreender a dimensão do quanto ela é incrível!

Por se tratar de uma obra antiga, imaginei que a linguagem seria complicada pra mim, mas logo nas primeiras páginas fui surpreendida ao me sentir tão envolvida. O texto ficou muito atual, sem perder o encanto das narrativas de época.

Eu só havia assistido o filme, até comprei pois sou muito fã do Jonhy Depp =). É bem diferente, farei a resenha dele em breve. Então, a história acabou sendo inédita para mim, assim como o lançamento do livro no Brasil. (Hehe)

Suspeito de tudo e não sei de nada. O que posso fazer? O que devo fazer para me livrar deste estado de suspense horrível? Estou de fato em um lugar onde, por alguma maldade, o assassino se tornou normal, ou estou imaginando coisas? (Página 282)

Sweeney Todd era o barbeiro da cidade. Um homem estranho e que provocava medo. Logo no começo da história, um de seus clientes some após entrar para ser barbeado. O cliente possuía um cachorro, que por não ver o dono sair do estabelecimento, permaneceu na porta, causando transtorno e irritação ao barbeiro. Irritação pois ele não gostava de cães (não confio em ninguém que não goste 🤔) e transtorno, pois assim que o desaparecimento do cliente foi confirmado, as suspeitas se voltaram para onde ele esteve a última vez e seu cachorro rondava.

Para azar de Todd, o cliente não era qualquer um, Thornhill estava na cidade para cumprir um papel importante, levar um recado e um presente para uma senhorita da cidade a pedido de um grande amigo que desaparecerá após um naufrágio que sofreram juntos. Ele deveria dar o recado e voltar para o navio onde fizera novos amigos, mas como não retornou, começaram uma busca pelo tripulante. Encontraram alguns aliados, que vinham desconfiando do barbeiro, já que outros clientes sumiram após entrar na barbearia.

Sei que o final da história é conhecido, mas me sentiria soltando spoiler se colocasse aqui. (Hehe) Vou apenas registrar que Sweeney Todd foi além da maldade e se mostrou um dos piores vilões que já li, contando com a parceria da senhora Lovett, tão bela quanto asquerosa e proprietária de uma famosa loja de tortas da cidade.

A história é mais suspense policial do que terror ou horror. Os personagens são cativantes e bem apresentados. A narrativa é em terceira pessoa, onde o narrador fala com o leitor boa parte do tempo esclarecendo os fatos.

Me senti conquistada por tudo! O trabalho impecável da editora não pode deixar de ser mencionado. Sou apaixonada por capas, acho que quando o capista trabalha bem, nossa alma já é tocada apenas ao olhar para ela e esse foi um caso. Cheia de relevos e brilhos. Tive até uma experiência engraçada, precisei ir ao hospital tomar medicação de rotina na veia, levei o livro, claro! Não larguei ele até terminar a história! (Haha) Em um momento uma parte do acesso escapou e chamei a enfermeira para ver se estava tudo bem, se a veia continuava furada. Ela se assustou achando que o sangue da capa era meu! (Hahaha) Não posso culpá-la, está realmente muito real.

A editora vem crescendo e tenho o prazer de acompanhar esse crescimento de perto. Verão muitas resenhas deles por aqui, pois além de parceiros, são crush na minha vida literária! *-* Seus trabalhos são muito bem elaborados e estruturados, tudo que vier deles pode ter certeza que será incrível! Recomendo demais que os conheçam e essa obra também!

Mas as pessoas se cansam de coisas boas. É todo mundo sabe muito bem que a natureza humana sempre se torna insatisfeita. (Página 197)

2 Comentários

  1. Cah Dias01 nov, 2018Responder
  2. 02 nov, 2018Responder

deixe seu comentário