Vinte e duas cartas

Renata S. Tourinho

Editora: Chiado

Páginas: 380

Ano: 2018

Sinopse:

Após uma separação e algumas reviravoltas em sua vida, Tilda parte em uma viagem pela Europa na companhia de seu amigo Vincent para tentar decifrar um mistério de seu passado. Em sua busca, o enigma parece aumentar enquanto ela vive uma verdadeira viagem interior. Junte-se a Tilda em um conto de fadas adulto, contemporâneo, bem-humorado e provocante. Siga sua jornada intensa e delicada, permeada por passagens históricas, leves fantasias, pequenas doses de ficção científica e... “Encontre-o.”

Coragem não é ausência do medo, mas sim, a capacidade de enfrenta-lo e não deixar-se paralisar por ele. (Página 20)

O título se refere às 22 cartas do baralho de tarot. Cada carta representa um capítulo e de alguma forma está ligada ao que acontece nele.

Narrado em terceira pessoa, o livro conta a história de Tilda.

Quando era jovem e os filhos ainda pequenos, um amigo misterioso a entregou uma bússola, com a orientação que encontrasse algo ou alguém, sem mais explicações.

Mas o caminho deve ser percorrido com sabedoria, porque muitas vezes, os maiores obstáculos que surgem somos nós mesmos que criamos. (Página 90)

Após anos guardando o objeto, ela resolveu buscar respostas e significados. Fez algumas pesquisas e seguindo pistas, partiu em uma viagem com o seu amigo Vicent.

Tilda estava com a saúde frágil, fortes dores de cabeça a deixavam instável e ainda era atormentada por sonhos, que pareciam premonições ou recordações de vidas passadas.

Quanto mais ela se aproximava de entender o mistério da bússola, mais encontrava sobre si mesma e assustada, procurava por algo que não parecia ser real, mas que faltava para ela de forma palpável.

Eu nunca me sinto totalmente em casa, não importa onde esteja. (Página 29)

Misterioso e envolvente, o livro possui uma escrita doce, misturando fantasia na realidade, tão característica da autora que já havia me encantado em Mais Perto do Coração. Embora fale das cartas de tarot, não traz uma mensagem religiosa e pode ser encarada como apenas uma ficção. Amo como a Renata deixa uma mensagem forte camuflada em uma história encantada, onde até uma mulher adulta como Tilda, possa ser interpretada como princesa de contos de fadas.

Casa, transcende a chão, teto e paredes. Casa não é um espaço físico. Casa é onde mora a tua alma, onde repousa o teu coração. (Página 105)

A Renata me faz ver a vida de uma forma mais doce e leve. Recomendo para todos que mesmo diante das tempestades, se permitem sonhar.

Saiba mais sobre a autora:

Site | Instagram | Facebook

deixe seu comentário