Baía dos Suspiros (Os Guardiões #2)

Nora Roberts

Editora: Arqueiro

Páginas: 288

Ano: 2018

Sinopse:

Para celebrar a ascensão ao trono de sua nova rainha, as deusas da lua criaram três estrelas, de fogo, água e gelo. Mas a deusa da escuridão as fez cair do céu, pondo em risco o destino de todos os mundos. Os seis guardiões, três homens e três mulheres de natureza especial, seguem unindo forças na busca pelas estrelas. Com sua bússola mágica, Sawyer King os transporta para a ilha de Capri, onde está escondida a Estrela de Água. Agora, eles vão precisar contar ainda mais com a sereia Annika. Nova neste mundo, sua pureza e beleza são de tirar o fôlego, assim como sua lealdade e disposição em proteger os novos amigos. Sawyer logo se vê atraído por seu espírito alegre. Mas Annika deve voltar para o mar em breve, e ele sabe que, se permitir que ela entre em seu coração, nenhuma bússola será capaz de guiá-lo para a terra firme… Enquanto isso, na escuridão, Nerezza está furiosa com a primeira derrota e planeja um retorno ainda mais maligno. Ela perdeu uma estrela para os guardiões, mas ainda há tempo para derramamento de sangue. Pois uma nova arma está sendo forjada. Algo mortal e imprevisível.

Olá meu caro leitor, como tem passado? Está se lembrando que agora minhas resenhas possuem um novo formato? Se quiser saber mais sobre a história além das minhas considerações, dê uma olhadinha na sinopse aqui na parte amarela logo acima.

“– A Baía dos Suspiros. – Os olhos de Sasha se tornaram profundos. – Perdida entre o que é, o que era e o que será. Onde habita a beleza sem fim e o pesar. Você é digno de passar pelo meio? O mais verdadeiro dos corações, o mais puro dos espíritos? Suspiros para aqueles que aceitaram. Suspiros para os que se afastaram. A esperança nunca excluiu a redenção. E a canção da estrela o guiará.” (p. 131)

Baía dos suspiros é o segundo livro da trilogia Os guardiões, você confere a resenha do primeiro volume aqui.

“O dever vinha em primeiro lugar, e ela jamais se esquivaria dele, mas podia nutrir em seu coração a esperança de não só cumprir seu legado, mas também de conhecer o amor antes de voltar ao mar para sempre.” (p. 26)

Confesso que esse segundo livro me encantou, surpreendeu e conquistou. Eu não havia curtido tanto assim o primeiro volume, mas a história é tão incrível e cativante, que eu quis dar seqüência nas aventuras dos guardiões em busca das estrelas da sorte.

“– A escuridão chamou a escuridão, e ela veio. Promessas feitas e aceitas com sangue. O que ela o tornou dá mais força a ambos. Agora, ele é sua nova criatura, o homem e a besta. A caçada começa e termina com sangue humano. Bebida de magia negra, queima de magia branca. Enquanto isso, a estrela espera para se reunir e brilhar nas mãos dos puros. Com batalha e dor, através da água, feita de água. Coragem, filhos e filhas, ainda que a cobra ataque. Arrisquem tudo por todos, e vençam.” (p. 82)

E essa foi uma das melhores decisões que tomei, pois nessa continuação eu reencontrei aquela escrita maravilhosa da Nora Roberts que tanto amo e que a consagrou como uma das maiores autoras da história.

“– É isso aí. Quer dizer que ela vai vir com essa de Apocalipse? Quatro cavaleiros, fim do mundo, coisa e tal? Que venha. Bran, sugiro que você providencie mais fogo e enxofre. Vamos mostrar a ela o que são as chamas do inferno.” (p. 140)

Em Baía dos suspiros, o relacionamento entre os seis guardiões, passou de amizade para um grande vinculo familiar. As aventuras, tormentos e tribulações que eles enfrentaram na busca da primeira estrela, só os fortaleceram como pessoas e os fizeram ver um ao outro como membros de uma só família.

“– Ele voltou para me salvar. Ele os enganou e voltou. Arriscou tudo por mim, por nós, pelas estrelas. É pura coragem.” (p. 202)

A bússola mágica de Sawyer King, o viajante, teve um papel importantíssimo nessa nova busca. E em meio a tudo o que eles estão vivendo, Sawyer se vê profundamente ligado a bela sereia Anikka. O inicio de um romance entre eles, foi um dos pontos altos da história. Assim como Bran e Sasha no primeiro livro, pude perceber que a vida dos guardiões se entrelaçam romanticamente também. Por isso estou torcendo loucamente para a Dra. Riley e Doyle se acertarem no próximo livro haha amo esses dois.

 “- … Não quero viver em um mundo em que você não está. E não acredito que nós dois nos encontramos, lutamos juntos e fizemos tudo isso para não ficarmos juntos no final. Não vou aceitar.” (p. 277)

A maldade de Nerezza, a deusa da escuridão, tomou proporções grandiosas. Furiosa após a primeira derrota, ela procurou os meios mais diabólicos para destruir os guardiões e criou algo monstruoso para isso. Essas partes do livro me fizeram ficar de queixo caído, tamanha foi a genialidade e ousadia da Nora.

Creio que não preciso ressaltar o quando amei Baía dos suspiros e o quanto preciso loucamente de Ilha de vidro para saber finalmente se meus amados guardiões conseguiram cumprir a missão que nasceram para executar, e se um milagre acontecerá na vida de dois corações apaixonados nessa história. Recomendo de todo o coração esse livro.

deixe seu comentário