Arrancada do meu mundo

C. C. Hunter

Editora: Jangada

Páginas: 376

Ano: 2020

Sinopse:

"Da mesma autora da Saga Acampamento Shadow Falls. Esta nova obra de C. C Hunter traz como personagem principal Chloe, uma adolescente cujos pais estão recém separados. Ela tinha 3 anos de idade quando foi adotada pela feliz família Holden. Agora, catorze anos depois, o casamento dos pais se desfez. Tudo que Chloe mais amava na vida ficou para trás e, só para piorar as coisas, a mudança com a mãe para a antiga casa da avó, faz com que ela passe a ser assombrada por estranhas lembranças de quando era pequena. Quando Chloe conhece Cash Colton, ela se sente atraída instantaneamente e descobre entre eles muitas afinidades. Até Cash contar o verdadeiro motivo pelo qual ele a procurou: Chloe é uma cópia exata da filha dos pais adotivos dele, a filha por quem ainda choram, e ele está determinado a descobrir a verdade."

Aprendi muito a não criar expectativas em ralação aos livros, e isso está dando super certo! Meu primeiro contato com a escrita da C. C. Hunter foi com o livro “Eu e esse meu coração”, e confesso que ele não me agradou tanto, simplesmente achei que  fugiu muito da proposta, mas, não pensei duas vezes quando vi a divulgação de “Arrancada do meu mundo”. Fui sem maiores expectativas, e o que aconteceu? AMEI!
Então, já sabem o segredo!

“E aqui estou eu. Arrancada do meu mundo outra vez. Arrancada brutalmente.”

O Livro tem como foco Chloe, uma garota de 17 anos, que fora adotada pela família Holder quando estava prestes a completar três anos de idade, porém isso nunca fora um segredo na vida dela. Sempre teve tudo que queria, amava os pais e era muito amada por eles também. Entretanto, tudo desandou quando seu pai deixou sua mãe e ela por uma mulher que poderia ser sua irmã. Mas, isso não foi tudo, ou talvez não tivesse sido nada comparado ao turbilhão de emoções que a garota teve que enfrentar sozinha: o câncer de sua mãe, juntamente com a depressão que a mesma desenvolveu por conta da doença e do divórcio.

Chloe teve que amadurecer antes da época para tomar conta de tudo sem a ajuda de ninguém.

“Será que, na realidade, é apenas disso que se trata a vida? Borrões coloridos? Uma colagem de momentos efêmeros, em diferentes tons e matrizes de emoção? Momentos em que você está feliz, triste, com raiva, com medo, e aqueles em que você está apenas fingindo.”

Em meio a todo esse contratempo, deixou seus amigos, namorado e colégio para trás, e mudaram-se para a casa dos avós falecidos em uma pequena cidade do Texas. E foi lá que sua vida tomou um rumo que jamais imaginou!

Um esbarrão atípico, em meio a uma crise de raiva, Chloe e Cash se encontraram, e com isso, suas vidas começaram a dar voltas ao redor de muitos segredos,  esses, poderiam custar a vida de alguém.

O garoto teve uma vida conturbada com seu pai enquanto esteve vivo, e depois de sua morte passou a viver em lares provisórios, mas, por sorte, fora acolhido já adolescente pelo casal Fuller, que tiveram sua pequena Emilly sequestrada há cerca de 15 anos, mas que jamais haviam desistido de procurá-la.

Esbarrar numa garota idêntica a foto de progressão de idade que o casal espalhou da filha desaparecida, foi o que Cash jamais imaginou acontecer. Precisava desvendar aquele mistério. Necessitava saber se de fato aquela garota era Emilly, quem sabe assim, o coração da Sra. Fuller encontrasse a paz.

Dias depois foram surpreendidos por serem alunos do mesmo colégio; mas isso não era tudo, a imensidão de afinidades entre eles gritavam. Fora impossível não embarcarem num relacionamento, e acima de tudo, na maior busca de todas: encontrar provas de que Chloe era na verdade Emilly Fuller.

“Então me recordo da minha última lembrança: eu, sentada num sofá, olhando para um tapete sujo. Eu me lembro de me sentir tão perdida. Tão abandonada. Tão assustada.”

Pensem num livro!!!

Agora devo aplaudir a Hunter, e agradecer por ter trazido uma temática que necessita ser abordada todos os dias.

Sabemos que existem muitas pessoas que buscam seus filhos desaparecidos, ou que simplesmente desejam uma vida melhor para eles e os dão para adoção (que não foi o caso nesse livro). Sabemos também o quanto alguns deles são amados e colocados num altar, enquanto outros são negligenciados.
É nítida a insegurança que essas pessoas sentem, por não conhecerem sua verdade, sua família biológica; Outras, assim como Chloe, possuem um vazio que não conseguem explicar, mas desde sempre foram amadas e souberam que família não é a que dá a vida, mas a que ama incondicionalmente.

“Durante toda a minha vida, tentei não me perguntar sobre a minha mãe biológica. Eu tentei não ficar ressentida, porque tenho uma mãe, uma mãe que me ama.”

O livro aborda várias questões, todas interligadas de  uma forma surpreendente. O bullying, o sequestro de crianças, a adoção, o amadurecimento precoce, a depressão, a aceitação, o divórcio e o perdão.

Cash e Chloe são personagens fantásticos, bem como todo o restante, pois eles deram muita originalidade na história. Preciso dizer que amo quando os autores deixam os personagens secundários em destaque também!

“Sim, eu sou boba e insegura. Sempre culpo a adoção. O fato de saber que meus verdadeiros pais não me quiseram. Às vezes quero encontrá-los e perguntar o por quê.”

Aqui, não veremos apenas dramas de jovens em busca de respostas, nem foco no romance (por mais que eu ame ambos), mas temos também um suspense que nos causa uma adrenalina DAQUELAS.

Um livro bem fechado, todos os assuntos abordados são dosados na medida certa, sem pontas soltas, e que merece ser enaltecido!

01 Comentário

  1. Marina Mafra29 jun, 2020Responder

deixe seu comentário