DO OUTRO LADO DA PORTA

Amarilis de Oliveira

Editora: Vida & Consciência

Páginas: 224

Ano: 2019

Sinopse:

O charmoso café, vazio àquela hora do dia, era o cenário de um encontro que mudaria para sempre a vida de Elizabeth, uma jovem de 20 anos, que, sem muita convicção, havia aceitado conhecer o pai biológico naquele encontro breve, mas definitivo para os dois. Será que a jovem entenderia os motivos que levaram o pai a abandoná-la quando ela ainda nem havia nascido? Nesta história emocionante, você entenderá que, presas às ilusões, muitas pessoas, pretensiosamente, deliberam sobre a vida de outras, inconscientes da própria tirania. Sob o pretexto de agirem para o bem de todos, tomam decisões que geram graves consequências. A vida, contudo, nos convida diariamente ao aprendizado, basta observarmos a grandeza de suas lições e a liberdade que ela nos proporciona para seguir nossos próprios caminhos.

Temos nós o direito de decidir o que é melhor para a vida alheia? Até que ponto temos direito a essa interferência? Será que o que chamamos de interferência – mesmo que tenhamos boa intenção – não passa de simples tirania? “Do outro lado da porta”, escrito por Amarilis de Oliveira e ditado pelo espírito Elizabeth, nos faz refletir sobre esses questionamentos.

Além de ditar a história, Elizabeth nos conta a história de seus pais – almas gêmeas – e os desdobramentos da interferência de sua avó paterna que, se entregando ao preconceito e ganância, mudou o destino de todos.

Elizabeth foi criada por sua mãe que, após achar que o pai biológico da filha havia morrido, se casou e teve mais dois filhos. A família era simples, mas repleta de amor e afeto. Elizabeth desde criança sabia que seu pai, esposo de sua mãe, na verdade era seu padrasto, mas nunca o considerou assim, em sua mente e coração ”ele era seu pai e pronto”.

Quando Elizabeth estava com 20 anos, Sr. Camargo, pai biológico da jovem mulher e que soube da existência da filha apenas três anos antes e a procurava desde então, a localizou e a convidou para um encontro. O encontro foi breve, mas ambos entraram no acordo de se conhecerem melhor.

Daí então, novos personagens entram na história e acompanhamos toda a evolução de Elizabeth como filha e futuramente esposa e mãe. Ela precisa tomar decisões sem ferir aqueles que ama, passa a ser mais decidida e independente, mesmo numa época em que mulheres não tinham acesso livre ao mercado de trabalho, ainda mais se fossem “nobres”, sua realidade ao se tornar herdeira do poderoso Sr. Cardoso.

Relembrando os questionamentos inicias, da leitura pude entender que em meio a tantas decisões que tomamos todos os dias, algumas são infelizes e trazem consequências dolorosas, mas a dor faz parte da vida. Precisamos encará-la, certos de que no fim tudo se resolve. Boa leitura!

 

2 Comentários

  1. Marina Mafra22 jun, 2020Responder
  2. Núbia Suzana23 jun, 2020Responder

deixe seu comentário