Jovens de Elite

Marie Lu

Editora: Rocco

Páginas: 304

Ano: 2016

Sinopse:

Jovens de Elite é o primeiro de uma série de fantasia ambientada na era medieval e protagonizada por jovens que desenvolvem estranhas cicatrizes e poderes especiais ao sobreviverem a uma febre que dizimou boa parte da humanidade. Entre eles está Adelina, que, após se rebelar contra o destino imposto a ela por seu pai, encontra um novo lar na sociedade secreta Jovens de Elite, vista por alguns como um grupo de heróis, por outros como seres com poderes demoníacos. Heroína ou vilã? Num mundo perigoso no qual magia e política se chocam, Adelina descobre o lado sombrio de seu coração.

Jovens de Elite conta a história de “jovens especiais” que sobreviveram à febre que dizimou a população no período da inquisição, com a sobrevivência, eles herdaram poderes, se tornando assim um jovem de elite, temido pelos mortais, que tinham como principal interesse caçar, e mata-los.

“Cada uma das memórias dela está entrelaçada em escuridão. É uma infecção em sua mente. Há algo muito errado com ela. Ela deveria ter se manifestado antes, quando criança, mas só agora ela começou a encontrar seu poder. Ele se acumulou dentro dela, e essa energia me parece anormal de um jeito que me incomoda. Ela ainda não sabe disso, mas ela está ávida, sedenta, para usá-la.”

No protagonismo, temos Adelina Amouteru, uma personagem controversa aos demais protagonistas de todas as fantasias young adult existentes, Adelina é a perfeita construção de uma vilã.

“O fantasma dele me faz companhia. Toda vez que desperto de um sonho febril, vejo-o de pé, no canto da cela, rindo de mim.”

No primeiro capítulo do livro já temos um terrível acontecimento, onde já sentimos o poder de destruição de psicológico vindo das páginas a seguir. Adelina é maltratada pelo pai, cujo qual sabia de sua peculiaridade, e queria entrega-la à rainha para a execução. Ao fugir de casa, Adelina é salva e se une ao grupo secreto dos jovens de elite para tramar a queda do reinado que os querem mortos.

“Alguns nos odeiam, pensam que somos fora da lei a serem pendurados na forca; Alguns nos temem, pensam que somos demônios a serem queimados na Fogueira; Alguns nos adoram, pensam que somos filhos dos deuses; Mas, todos nos conhecem.”

O que torna Jovens De Elite uma trilogia diferente de todas? A construção dos personagens como vilões, atitudes grotescas, estratégias para tomar o poder, mas qual o preço a se pagar? Será que vale a pena? Adelina, Enzo, Raphaelle, e entre outros “malfettos” vivem em conflitos individuais, vinganças e traições os perseguem. Gosto muito da forma como isso é desenvolvido no enredo.

“… Os dons que a febre lhe deixou não são tão pouco confiáveis quanto pode parecer. Há um ritmo e uma ciência para controlar seu poder. Há lógica por trás do caos. Se quiser, pode aprender a controlá-lo. E será bem recompensada por isso.”

Adelina é uma anti-heroina, e a forma com que ela desenvolve o seu ódio por todos ao seu redor é magnífica. Todos em algum momento a ferem, passam ela para trás, traem e oprimem seus desejos. Por um momento é difícil aceita-la, mas depois que a história anda você percebe que essa personalidade foi criada com as inúmeras formas que tentaram a destruir.

Por fim, Marie Lu eu te reverencio, essa trilogia mexeu muito comigo. Eu tenho certeza que nunca mais lerei nada igual. Em breve trago resenha da continuação!

01 Comentário

  1. Marina Mafra08 jul, 2020Responder

deixe seu comentário