O hospital de muskov

Páginas: 264

Ano: 2021

Publicado em: 02/09/2021

Sinopse:

Contos de ficção nacionais selecionados, organizados cronologicamente em memórias e relatos de médicos e pacientes. Você acredita na sanidade? inaugurado em 1812 e destruído após a guerra, em 1945, o hospício de muskov foi palco de atrocidades, assassinatos, muito medo e sofrimento. Fundado por um psicólogo húngaro, o lugar era conhecido como centro de referência para tratamentos psiquiátricos. Em uma época de pouca tecnologia, buscava-se a cura através de métodos cruéis, utilizados sem restrição. Um diagnóstico precipitado era suficiente para levar uma pessoa saudável às portas da insanidade. Livre-se dos preconceitos e mergulhe nas profundezas da mente humana — um lugar onde muitas vozes se misturam, quebrando o tecido da realidade e tornando a verdade indistinguível. Psiquiatras, enfermeiros, enfermos - todos eles têm uma história sobre este lugar. Uma história que nos leva à decadência do hospício de muskov. Contos e autores: o filho bastardo da rússia | valquíria vlad irmandade longínqua | leonardo ribeiro eugênia & anatólia | rúbia dias alma insana | poliana marques o mais insano dos mundos | everton medeiros ecos do silêncio | dayanne fernandes terror noturno | lelen hayashida o enfermeiro da ala 43 | l. F. Del bosco complexo de pandora | rafael f. Faiani duas vozes, um grito | anya pires temperatura crítica | vinícius gutterres a dama de duas faces | j. M. Menez celese | marina avila a vidente vangelia | rodrigo ortiz vinholo incógnitas de muskov | mateus lins a boneca da igreja | bruno godoi o gato caolho do hospício de muskov | heráclito pinheiro visita para svetlana | l. S. Wolter os sigilos do amanhã | caesar charone ursel miezel | stefano sant’anna clube noturno de mariposas mortas | jefter haad o coração secreto de marte | lucas odersvank eu sou a casa silenciosa | karine ribeiro o caso zhenshchina tchort | david croft os dezesseis reflexos de maria | iapsa a herança de simon | allan baxter a maldição do conhecimento | vítor de lerbo latitude 59, longitude 30 | tyanne maia

deixe seu comentário