O Preço da Vitória (Myron Bolitar #4)

Harlan Coben

Editora: Arqueiro

Páginas: 256

Ano: 2013

Sinopse:

Myron Bolitar não é fã de golfe, mas, ao ser convidado por seu amigo Win para assistir ao Aberto dos Estados Unidos, aproveita a oportunidade para tentar conquistar novos clientes.E é o que acontece quando ele é procurado pelo pai de Linda Coldren, a golfista número 1 do ranking. Antes que perceba, Myron está novamente atuando como detetive, em busca de Chad, o filho de Linda que sumiu há dois dias. O desaparecimento é mais um peso sobre os ombros do pai do garoto, o também golfista Jack Coldren, que lidera o torneio e luta para não repetir seu inexplicável fracasso de anos atrás. Win se recusa a ajudar no caso ao ser informado de que foi sua mãe, com quem não fala há anos, que recomendou Myron à família Coldren. Mesmo sabendo que ela está à beira da morte, prefere manter distância.

“- Gostaria de tomar um drinque? – disse Win.

– Claro.

– Se você pedir um achocolatado, eu dou um soco no seu olho direito.

– Olho direito – repetiu Myron balançando a cabeça. – Que específico.”

Esse é o 4º livro da série Myron Bolitar, embora os livros não precisem necessariamente ser lidos em sequência, o indicado é ler na ordem para compreender o “universo” criado pelo autor e as histórias envolvendo os personagens.

Não é atoa que Coben é considerado “o mestre das noites em claro”, fiquei tão envolvida nessa história que mesmo não conseguindo ler muito bem durante a noite por causa da visão, acabei virando a madrugada com essa história.

A trama desde o inicio me deixou com uma pulga atrás da orelha. Esse sequestro seria ou não verdadeiro? E se fosse uma farsa, qual era o motivo por trás de algo tão grave? Meus caros, quantas revelações esse livro me trouxe. Coben trouxe a oportunidade de conhecer mais sobre o passado de Win, o melhor amigo e fiel escudeiro de Myron, e tentar compreender os motivos que o levaram a ser como é.

A história é bem desenvolvida, com diálogos intensos, que por diversas vezes me fizeram pensar na minha própria vida. A ambientação da história é algo completamente diferente do que Coben já trouxe, e acho que por isso me choquei mais conforme os fatos eram escancarados e a verdade fluía.

O final me deixou impactada, mais uma vez criei mil teorias e não passei nem perto da verdade. É isso que amo na escrita do Coben, a forma como ele sempre me surpreende positivamente. O último capítulo me fez chorar loucamente, e por mais que esse não tenha sido um dos melhores livros do autor, é perfeito ao seu modo.

01 Comentário

  1. Marina Mafra23 jun, 2020Responder

deixe seu comentário