Sem Deixar Rastros (Myron Bolitar #3)

Harlan Coben

Editora: Arqueiro

Páginas: 272

Ano: 2012

Sinopse:

Myron Bolitar parecia destinado a uma carreira de sucesso na NBA quando uma lesão no joelho o afastou das quadras para sempre. Porém, 10 anos depois, o agente esportivo e detetive particular com passagem pelo FBI está de volta ao jogo - não para cumprir seu destino como astro do basquete, mas para desvendar mais um mistério. O ídolo dos Dragons de Nova Jersey, Greg Downing, maior adversário de Myron na época da faculdade, desapareceu sem deixar rastros pouco antes das finais do campeonato nacional. À frente do caso, com a ajuda de seus dois fiéis escudeiros, Win e Esperanza, Myron trabalhará infiltrado entre os jogadores para tentar obter informações capazes de levar ao paradeiro do antigo rival, com quem também competiu pelo amor de uma mulher.

Este é o terceiro livro da série Myron Bolitar, e confesso que se tornou um dos meus favoritos do autor. Embora eu ame o Coben, falar dele é algo sempre bem difícil, pois existem tantas coisas boas a dizer sobre seus livros, que me sinto perdida em como começar rs.

“– Os sonhos nunca morrem. Às vezes achamos que eles estão mortos, mas estão apenas hibernando como um urso velho. E quando a hibernação é muito longa, o urso acorda bravo e faminto.”

Bem construído do início ao fim, Sem deixar rastros é um daqueles suspenses que fisga o leitor logo no primeiro capitulo. Afinal, alguém misteriosamente desaparecendo sem deixar explicações é algo que aguça a mente de todo leitor.

Mesmo o foco sendo o desaparecimento de Greg, a história adentra por diversos caminhos distintos que acabam se interligando conforme Myron corre atrás de respostas. E meus caros, esse sem sombra de duvidas foi um livro que acelerou minha pressão, pois a cada descoberta de Myron, eu entrava em choque e precisava parar para absorver as verdades sendo reveladas.

“Tudo aquilo lhe trazia lembranças do passado. A textura suave do algodão. Os cadarços do calção, que se amarravam feito cadarços de sapato. A leve pressão do elástico sobre a cintura depois de vestir o calção. O ligeiro aperto da camisa ao passar pelos ombros. As mãos experientes ajeitando-as nas costas. O amarrar do tênis de cano alto. Tudo lhe doía na alma. Myron já estava tendo dificuldade para respirar. Precisou piscar para afastar as lágrimas. Então se sentou e esperou até a angústia passar.”

Essa história me emocionou demais, fez meu coração sofrer, minha alma amargar. Fiquei ainda mais encantada com a genialidade de Coben ao me entregar aquele final totalmente inesperado, pois por mais que eu criei mil teorias, não passei nem perto de descobrir a verdade deste suspense. Amei com todo o meu coração e mal posso esperar para dar continuidade a essa série.

2 Comentários

  1. Marina Mafra20 jun, 2020Responder

deixe seu comentário