Obstinado coração (Mulheres do Brasil #2)

Sheila Guedes

Páginas: 292

Ano: 2020

Sinopse:

Catharina chegou ao Brasil em 1674 para se casar com um fidalgo português. Mas, durante o árduo percurso dentro de uma mata fechada conhecida na época como a Serra do Mar, para chegar a vila de São Paulo de Piratininga e assim encontrar seu noivo, ela foi sequestrada por um nativo tupi. Porém, o “selvagem” Aracaê despertou em Catharina algo bem mais profundo do que o medo. Em meio a floresta, enfrentando os perigos da época, Catharina e Aracaê vão contar sua história. Esteja preparado para conhecer uma intensa história de amor onde as diferenças se perdem em meio a força do sentimento que os une.

É a nossa essência que dita as regras da vida que vivemos.

Segundo livro da série Mulheres do Brasil, da autora Sheila Guedes. Contém spoiler do primeiro livro, Coração Indomável.

Catharina chegou ao Brasil junto com outras mulheres já destinadas para homens que cobriram as despesas da viagem, para se casarem com elas. Mas antes que pudesse conhecer o futuro marido, ela foi sequestrada por um índio que, a tratando com todo cuidado e respeito, disse que estavam destinados a ficarem juntos.

Como não se brinca com o destino, não demorou muito para as loucuras do índio começarem a fazer sentido para a moça que se descobriu encantada pelo seu raptor.

Catharina passa a aprender mais da cultura e costumes do povo de Acaraê, enquanto vivem um romance intenso e bem caliente.

Mas quando o futuro marido dela começa a atacar os índios achando estarem a mantendo lá contra sua vontade, eles precisam enfrentar todo machismo e preconceito da época para ficarem juntos.

Os livros da She sempre são recheados de romance, mas essa série me conquistou ainda mais pelo contexto histórico. Em Coração Indomável já havia sigo resgatada para o período do Brasil colonial, mas nesse conheci muito do povo que viu seu mundo ser invadido por quem chegou matando, destruindo e assumindo o controle não apenas da terra, como os fazendo de escravos. Conhecer esse impacto foi chocante. E ficou mais instigante imaginar alguém como Catharina que via os índios como iguais e ainda viveu essa linda história de amor com um deles.

Interessante perceber que a luta por igualdade já existia antes de nós e triste notar o quanto precisamos melhorar nesse quesito.

Vivemos em uma civilização que não está preparada para o diferente. Para o que não é comum e aceitável na visão delas.

Acompanhe o trabalho da autora: www.sheilaguedes.com.br

deixe seu comentário